Difference between pages "Install/pt-br/Configuring" and "Install/pt-br/Kernel"

< Install‎ | pt-br(Difference between pages)
(Configuration Files)
 
(Configurando e instalando o kernel Linux)
 
Line 1: Line 1:
=== Configurando seu sistema ===
+
=== Configurando e instalando o kernel Linux ===
Como é esperado de uma distribuição Linux, Funtoo Linux tem seu compartilhamento de arquivos de configuração. O arquivo que absolutamente requer que você edite de forma a assegurar que o Funtoo Linux inicialize com sucesso é <code>/etc/fstab</code>. Os outros são opcionais.
+
  
==== Utilizando o Nano ====
+
Agora é hora de construir e instalar um kernel Linux, o qual é o coração de qualquer sistema Funtoo Linux. O kernel é carregado pelo boot loader, e interfaces diretamente com o hardware do seu sistema, e permite programas regulares (userspace) serem executador.
  
O editor padrão incluso no ambiente chroot é chamado de <code>nano</code>. Para editar um dos arquivos abaixo, chame o nano como a seguir:
+
Um kernel deve ser configurado propriamente para o hardware do seu sistema, desse modo ele suporta seus hard drives, file systems, placas de rede, e assim por diante. Usuários de Linux mais experientes podem escolher instalar o kernel sources e configurar e instalar seu próprio kernel. Se você não sabe como fazer isso, nós fornecemos ebuilds que construirão automaticamente um kernel "universal", módulos e initramfs para a inicialização do seu sistema que suporte todo o hardware. Esse é um jeito extremamente simples de construção de um kernel que colocará seu sistema para inicializar.
  
<console>
+
Qual é o nosso objetivo? Construir um kernel que reconhecerá todo o hardware em seu sistema necessário para inicialização, você será cumprimentado por um prompt de login amigável depois que a instalação estiver completa. Estas instruções lhe guiarão através do processo de instalação de um kernel no modo "fácil" -- sem exigir configuração do usuário, ao utilizar um kernel "universal".
(chroot) # ##i##nano /etc/fstab
+
</console>
+
  
Quando estiver no editor, você pode utilizar as teclas de cetas para mover o cursor, e teclas comuns como backspace e delete funcionarão como esperado. Para salvar o arquivo, pressione Control-X, e responda <code>y</code> quando solicitado para salvar o buffer modificado se você gostaria de salvar suas alterações.
+
==== Package Sets ====
  
==== Configuration Files ====
+
Antes que instalemos um kernel, vamos cobrir um recurso do Portage chamado package sets. Portage, o sistema gerenciador/ports de pacotes para o Funtoo Linux, manterá rastro de pacotes do sistema assim como pacotes que você tem instalado ao invocar <code>emerge</code> diretamente. Esses pacotes que são parte do sistema base são considerados parte do conjunto de pacote do "sistema" (''system'' packages sets), enquanto pacotes que você tem instalado ao digitá-los na linha de comando (tal qual "gnome" em <code>emerge gnome</code>) serão adicionados ao conjunto de pacote "world". Isso proporciona um jeito fácil de atualizar o sistema inteiro.
  
Aqui estão uma lista completa de arquivos que você pode queres editar, dependendo de suas necessidades:
+
No entanto, as vezes é bom ser capaz de atualizar o kernel todo por sim só, ou deixar uma atualização do kernel fora da sua regular atualização completa do sistema. Para fazer isso, criaremo uma nova configuração de pacote chamada "kernel".
{{TableStart}}
+
<tr class="active"><th>Arquivo</th>
+
<th>Preciso alter-á-lo?</th>
+
<th>Descrição</th>
+
</tr><tr  class="danger">
+
<td><code>/etc/fstab</code></td>
+
<td>'''SIM - exigido'''</td>
+
<td>Pontos de montagem para todos os filesystems a serem utilizados no momento do boot. Esse arquivo deve refletir sua configuação de partição de disco. Vamos lhe guiar através da modificação desse arquivo abaixo.</td>
+
</tr><tr>
+
<td><code>/etc/localtime</code></td>
+
<td>''Talvez - recomendável''</td>
+
<td>Seu fuso horário (timezone), que será padrão ao UTC se não definido. Esse deve ser um link simbólico para algo localizado sob /usr/share/zoneinfo (ex. /usr/share/zoneinfo/America/Montreal) </td>
+
</tr><tr>
+
<td><code>/etc/make.conf</code> (symlink) - also known as:<br/><code>/etc/portage/make.conf</code></td>
+
<td>''Talvêz - recomendado''</td>
+
<td>Parâmetros utilizado pelo gcc (compilador), pelo portage, e pelo make. É uma boa ideia definir o MAKEOPTS. Isso é coberto mais para frente nessa documentação.</td>
+
</tr><tr>
+
<td><code>/etc/conf.d/hostname</code></td>
+
<td>''Talvez - recomendado''</td>
+
<td>Utilizado para definir o hostname do sistema. Defina a variável <code>hostname</code> como nome fully-qualified (com pontos, ex. <code>foo.funtoo.org</code>) se você tiver um. Caso contrário, defina para o hostname do sistema local (sem pontos, ex. <code>foo</code>). Padrões para <code>localhost</code> se não definido.</td>
+
</tr><tr>
+
<td><code>/etc/hosts</code></td>
+
<td>''Não''</td>
+
<td> Você não precisa mais definir manual o hostname nesse arquivo. Esse arquivo é gerado manualmente pelo <code>/etc/init.d/hostname</code>.</td>
+
</tr><tr>
+
<td><code>/etc/conf.d/keymaps</code></td>
+
<td>Opcional</td>
+
<td>Arquivo de configuração de mapeamento do teclado (fara console pseudo terminais). Configure se você não possui um teclado no padrão americano (non-US). Veja [[Funtoo Linux Localization]].</td>
+
</tr><tr>
+
<td><code>/etc/conf.d/hwclock</code></td>
+
<td>Opcional</td>
+
<td>Como o tempo de clock do hardware mantido pela bateria (battery-backed) do sistema é interpretado [UTC ou hora local (local time)]. Linux utiliza o clock do hardware mantido pela bateria para inicializar a hora do sistema quando o sistema é inicializado.</td>
+
</tr><tr>
+
<td><code>/etc/conf.d/modules</code></td>
+
<td>Opcional</td>
+
<td>Módulos do Kernel para carregar automaticamente na inicialização do sistema. Tipicamente não exigido. Veja [[Additional Kernel Resources]] para mais informações.</td>
+
</tr><tr>
+
<td><code>/etc/conf.d/consolefont</code></td>
+
<td>Opcional</td>
+
<td>Lhe permite especificar a font padrão do console. Para aplicar essa font, habilite o serviço consolefont ao executar rc-update add consolefont.</td>
+
</tr><tr>
+
<td><code>profiles</code></td>
+
<td>Opcional</td>
+
<td>Algumas configurações úteis para o portage que podem ajudar a acelerar a configuração inicial.</td>
+
</tr>
+
{{TableEnd}}
+
  
Se você estiver instalando uma versão em Inglês do Funtoo Linux, você está com sorte desde que muitos dos arquivos de configuração pode ser utilizadas como é. Se estiver instalando para outra localidade, não se preocupe. Vamos lhe orientar através dos passos para a configuração necessária na página [[Funtoo Linux Localization]], e se necessário, sempre há muito suporte amigável e útil. (Veja [[#Community portal|Community]])
+
==== Configuração de Pacote do Kernel ====
  
Vamos seguir em frente e ver o que temos que fazer. Utilize <code>nano -w <name_of_file></code> para editar os arquivos -- o "<code>-w</code>" desabilita empacotamento de palavras (word-wrapping), que útil quando editar arquivos de configurações. Você pode copiar e colar a partir dos exemplos.
+
Para criar a configuração de pacote do kernel, realize os seguintes passos:
  
{{fancywarning|É importante editar seu arquivo <code>/etc/fstab</code> antes que você reinicialize! Você precisará modificar ambos as colunas  "fs" e "type" para equiparar as configurações para as suas partições e filesystems que você criou com o <code>gdisk</code> ou <code>fdisk</code>. Pulando esses podem impedir que o Funtoo Linux de inicializar com sucesso.}}
+
<console>
 +
(chroot) # ##i##mkdir /etc/portage/sets
 +
(chroot) # ##i##echo sys-kernel/debian-sources > /etc/portage/sets/kernel
 +
</console>
  
==== /etc/fstab ====
+
Agora, vamos querer definir uma variável USE para dizer ao <code>debian-sources</code> que construa um kernel "universal" e o initramfs para nós, para levar Funtoo Linux a funcionamento na inicialização. Para fazer isso, vamos configurar a variável <code>binary</code> USE para <code>debian-sources</code>, como a seguir:
 
+
<code>/etc/fstab</code> is used by the <code>mount</code> command which is ran when your system boots. Statements of this file inform <code>mount</code> about partitions to be mounted and how they are mounted. In order for the system to boot properly, you must edit <code>/etc/fstab</code> and ensure that it reflects the partition configuration you used earlier:
+
  
 
<console>
 
<console>
(chroot) # ##i##nano -w /etc/fstab
+
(chroot) # ##i##echo "sys-kernel/debian-sources binary" >> /etc/portage/package.use
 
</console>
 
</console>
  
<pre>
+
Se as varáveis USE forem novas para você, você estará se familiarizando com elas um pouco mais enquanto utiliza o Funtoo Linux. Em sua essência, elas são "switches" que você pode definir para configurar opções que podem ser construídas em vários pacotes. Elas são utilizadas para assim personalizar seu Funtoo Linux system para que conheça as suas exatas necessidades. Nós adicionamos suporte para uma flag <code>binary</code> USE flag aos ebuilds <code>debian-sources</code>, assim como poucos outros de nossos kernel ebuilds, para tornar mais fácil para que novos usuários de consigam obter o Funtoo Linux funcionando e operando.
# The root filesystem should have a pass number of either 0 or 1.
+
# All other filesystems should have a pass number of 0 or greater than 1.
+
#
+
# NOTE: If your BOOT partition is ReiserFS, add the notail option to opts.
+
#
+
# See the manpage fstab(5) for more information.
+
#
+
# <fs>     <mountpoint> <type> <opts>        <dump/pass>
+
  
/dev/sda1    /boot        ext2    noauto,noatime 1 2
+
Agora, quando queremos somente atualizar os pacotes do nosso sistema, digitaremos <code>emerge -auDN @world</code>, e isso atualizará nossa configuração world, deixando de fora o kernel. Do mesmo modo, quando queremos atualizar somente o nosso kernel, digitaremos <code>emerge -au @kernel</code>, e isso atualizará nosso kernel, deixando de fora a configuração world.
/dev/sda2    none          swap    sw            0 0
+
/dev/sda3    /            ext4    noatime        0 1
+
#/dev/cdrom  /mnt/cdrom    auto    noauto,ro      0 0
+
</pre>
+
  
{{Note|Currently, our default <code>/etc/fstab</code> has the root filesystem as <code>/dev/sda4</code> and the swap partition as <code>/dev/sda3</code>. These will need to be changed to <code>/dev/sda3</code> and <code>/dev/sda2</code>, respectively.}}
+
==== Building the Kernel ====
  
{{Note|If you're using UEFI to boot, change the <code>/dev/sda1</code> line so it says <code>vfat</code> instead of <code>ext2</code>. Similarly, make sure that the <code>/dev/sda3</code> line specifies either <code>xfs</code> or <code>ext4</code>, depending on which filesystem you chose at filesystem-creation time.}}
+
{{Fancynote|1=
 +
See [[Funtoo Linux Kernels]] for a full list of kernels supported in Funtoo Linux. We recommend <code>debian-sources</code> for new users.}}
  
==== /etc/localtime ====
+
{{fancyimportant|1=
 +
<code>debian-sources</code> with <code>binary</code> USE flag requires at least 14GB free in <code>/var/tmp</code> and takes around 1 hour to build on a Intel Core i7 Processor.}}
  
<code>/etc/localtime</code> is used to specify the timezone that your machine is in, and defaults to UTC. If you would like your Funtoo Linux system to use local time, you should replace <code>/etc/localtime</code> with a symbolic link to the timezone that you wish to use.
+
Let's emerge our kernel:
  
 
<console>
 
<console>
(chroot) # ##i##ln -sf /usr/share/zoneinfo/MST7MDT /etc/localtime
+
(chroot) # ##i##emerge -1 @kernel
 
</console>
 
</console>
  
The above sets the timezone to Mountain Standard Time (with daylight savings). Type <code>ls /usr/share/zoneinfo</code> to see what timezones are available. There are also sub-directories containing timezones described by location.
+
{{Important|Right now, the <code>-1</code> option is required to not add our <code>@kernel</code> set to <code>world-sets</code>. This allows you to emerge it independently from @world. If you forget to use this option, edit <code>/var/lib/portage/world-sets</code> and remove the <code>@kernel</code> line. This will prevent kernel updates from being included in @world updates.}}
  
==== /etc/make.conf ====
+
Note that while use of the <code>binary</code> USE flag makes installing a working kernel extremely simple, it is one part of Funtoo Linux that takes a ''very'' long time to build from source, because it is building a kernel that supports ''all'' hardware that Linux supports! So, get the build started, and then let your machine compile. Slower machines can take up to several hours to build the kernel, and you'll want to make sure that you've set <code>MAKEOPTS</code> in <code>/etc/portage/make.conf</code> to the number of processing cores/threads (plus one) in your system before starting to build it as quickly as possible -- see the [[#/etc/portage/make.conf|/etc/portage/make.conf section]] if you forgot to do this.
  
MAKEOPTS can be used to define how many parallel compilations should occur when you compile a package, which can speed up compilation significantly. A rule of thumb is the number of CPUs (or CPU threads) in your system plus one. If for example you have a dual core processor without [[wikipedia:Hyper-threading|hyper-threading]], then you would set MAKEOPTS to 3:
+
{{fancynote|NVIDIA card users: the <code>binary</code> USE flag installs the Nouveau drivers which cannot be loaded at the same time as the proprietary drivers, and cannot be unloaded at runtime because of KMS. You need to blacklist it under <code>/etc/modprobe.d/</code>.}}
 
+
<pre>
+
MAKEOPTS="-j3"
+
</pre>
+
 
+
If you are unsure about how many processors/threads you have then use nproc to help you.
+
<console>
+
(chroot) # ##i##nproc
+
16
+
</console>
+
 
+
Set MAKEOPTS to this number plus one:
+
 
+
<pre>
+
MAKEOPTS="-j17"
+
</pre>
+
 
+
USE flags define what functionality is enabled when packages are built. It is not recommended to add a lot of them during installation; you should wait until you have a working, bootable system before changing your USE flags. A USE flag prefixed with a minus ("<code>-</code>") sign tells Portage not to use the flag when compiling.  A Funtoo guide to USE flags will be available in the future. For now, you can find out more information about USE flags in the [http://www.gentoo.org/doc/en/handbook/handbook-amd64.xml?part=2&chap=2 Gentoo Handbook].
+
 
+
LINGUAS tells Portage which local language to compile the system and applications in (those who use LINGUAS variable like OpenOffice). It is not usually necessary to set this if you use English. If you want another language such as French (fr) or German (de), set LINGUAS appropriately:
+
 
+
<pre>
+
LINGUAS="fr"
+
</pre>
+
 
+
==== /etc/conf.d/hwclock ====
+
If you dual-boot with Windows, you'll need to edit this file and change the value of '''clock''' from '''UTC''' to '''local''', because Windows will set your hardware clock to local time every time you boot Windows. Otherwise you normally wouldn't need to edit this file.
+
<console>
+
(chroot) # ##i##nano -w /etc/conf.d/hwclock
+
</console>
+
  
==== Localization ====
+
{{fancynote|For an overview of other kernel options for Funtoo Linux, see [[Funtoo Linux Kernels]]. There may be modules that the Debian kernel doesn't include, a situation where [http://www.funtoo.org/wiki/Funtoo_Linux_Kernels#Using_Debian-Sources_with_Genkernel genkernel] would be useful. Also be sure to see [[:Category:Hardware Compatibility|hardware compatibility]] information.}}
  
By default, Funtoo Linux is configured with Unicode (UTF-8) enabled, and for the US English locale and keyboard. If you would like to configure your system to use a non-English locale or keyboard, see [[Funtoo Linux Localization]].
+
Once <code>emerge</code> completes, you'll have a brand new kernel and initramfs installed to <code>/boot</code>, plus kernel headers installed in <code>/usr/src/linux</code>, and you'll be ready to configure the boot loader to load these to boot your Funtoo Linux system.

Revision as of 14:58, February 26, 2015

Configurando e instalando o kernel Linux

Agora é hora de construir e instalar um kernel Linux, o qual é o coração de qualquer sistema Funtoo Linux. O kernel é carregado pelo boot loader, e interfaces diretamente com o hardware do seu sistema, e permite programas regulares (userspace) serem executador.

Um kernel deve ser configurado propriamente para o hardware do seu sistema, desse modo ele suporta seus hard drives, file systems, placas de rede, e assim por diante. Usuários de Linux mais experientes podem escolher instalar o kernel sources e configurar e instalar seu próprio kernel. Se você não sabe como fazer isso, nós fornecemos ebuilds que construirão automaticamente um kernel "universal", módulos e initramfs para a inicialização do seu sistema que suporte todo o hardware. Esse é um jeito extremamente simples de construção de um kernel que colocará seu sistema para inicializar.

Qual é o nosso objetivo? Construir um kernel que reconhecerá todo o hardware em seu sistema necessário para inicialização, você será cumprimentado por um prompt de login amigável depois que a instalação estiver completa. Estas instruções lhe guiarão através do processo de instalação de um kernel no modo "fácil" -- sem exigir configuração do usuário, ao utilizar um kernel "universal".

Package Sets

Antes que instalemos um kernel, vamos cobrir um recurso do Portage chamado package sets. Portage, o sistema gerenciador/ports de pacotes para o Funtoo Linux, manterá rastro de pacotes do sistema assim como pacotes que você tem instalado ao invocar emerge diretamente. Esses pacotes que são parte do sistema base são considerados parte do conjunto de pacote do "sistema" (system packages sets), enquanto pacotes que você tem instalado ao digitá-los na linha de comando (tal qual "gnome" em emerge gnome) serão adicionados ao conjunto de pacote "world". Isso proporciona um jeito fácil de atualizar o sistema inteiro.

No entanto, as vezes é bom ser capaz de atualizar o kernel todo por sim só, ou deixar uma atualização do kernel fora da sua regular atualização completa do sistema. Para fazer isso, criaremo uma nova configuração de pacote chamada "kernel".

Configuração de Pacote do Kernel

Para criar a configuração de pacote do kernel, realize os seguintes passos:

(chroot) # mkdir /etc/portage/sets
(chroot) # echo sys-kernel/debian-sources > /etc/portage/sets/kernel

Agora, vamos querer definir uma variável USE para dizer ao debian-sources que construa um kernel "universal" e o initramfs para nós, para levar Funtoo Linux a funcionamento na inicialização. Para fazer isso, vamos configurar a variável binary USE para debian-sources, como a seguir:

(chroot) # echo "sys-kernel/debian-sources binary" >> /etc/portage/package.use

Se as varáveis USE forem novas para você, você estará se familiarizando com elas um pouco mais enquanto utiliza o Funtoo Linux. Em sua essência, elas são "switches" que você pode definir para configurar opções que podem ser construídas em vários pacotes. Elas são utilizadas para assim personalizar seu Funtoo Linux system para que conheça as suas exatas necessidades. Nós adicionamos suporte para uma flag binary USE flag aos ebuilds debian-sources, assim como poucos outros de nossos kernel ebuilds, para tornar mais fácil para que novos usuários de consigam obter o Funtoo Linux funcionando e operando.

Agora, quando queremos somente atualizar os pacotes do nosso sistema, digitaremos emerge -auDN @world, e isso atualizará nossa configuração world, deixando de fora o kernel. Do mesmo modo, quando queremos atualizar somente o nosso kernel, digitaremos emerge -au @kernel, e isso atualizará nosso kernel, deixando de fora a configuração world.

Building the Kernel

Note

See Funtoo Linux Kernels for a full list of kernels supported in Funtoo Linux. We recommend debian-sources for new users.

Important

debian-sources with binary USE flag requires at least 14GB free in /var/tmp and takes around 1 hour to build on a Intel Core i7 Processor.

Let's emerge our kernel:

(chroot) # emerge -1 @kernel
Important

Right now, the -1 option is required to not add our @kernel set to world-sets. This allows you to emerge it independently from @world. If you forget to use this option, edit /var/lib/portage/world-sets and remove the @kernel line. This will prevent kernel updates from being included in @world updates.

Note that while use of the binary USE flag makes installing a working kernel extremely simple, it is one part of Funtoo Linux that takes a very long time to build from source, because it is building a kernel that supports all hardware that Linux supports! So, get the build started, and then let your machine compile. Slower machines can take up to several hours to build the kernel, and you'll want to make sure that you've set MAKEOPTS in /etc/portage/make.conf to the number of processing cores/threads (plus one) in your system before starting to build it as quickly as possible -- see the /etc/portage/make.conf section if you forgot to do this.

Note

NVIDIA card users: the binary USE flag installs the Nouveau drivers which cannot be loaded at the same time as the proprietary drivers, and cannot be unloaded at runtime because of KMS. You need to blacklist it under /etc/modprobe.d/.

Note

For an overview of other kernel options for Funtoo Linux, see Funtoo Linux Kernels. There may be modules that the Debian kernel doesn't include, a situation where genkernel would be useful. Also be sure to see hardware compatibility information.

Once emerge completes, you'll have a brand new kernel and initramfs installed to /boot, plus kernel headers installed in /usr/src/linux, and you'll be ready to configure the boot loader to load these to boot your Funtoo Linux system.