Difference between pages "Funtoo:About/pt-br" and "Metro Quick Start Tutorial/pt-br"

(Difference between pages)
(Metro)
 
(Configuring Metro)
 
Line 1: Line 1:
= Visão do Projeto =
+
= Prefácio =  
  
Daniel Robbins originalmente escreveu a [[Gentoo_Linux_Philosophy/pt-br|Filosofia Gentoo Linux]], e nisso definiu o conceito de uma ferramenta ideal assim sendo algo que "simplesmente funciona", não fica no caminho do usuário, e responde a vontade do usuário ao invés de forçar o usuário a trabalhar de um jeito particular.
+
== Como o Metro Funciona ==
  
Funtoo Linux é um projeto de pessoas que concordam filosofia da ferramenta ideal, e que são ''apaixonadas'' pelo nosso desejo de melhorar a tecnologia de ser tão próximo desse ideal quanto possível. O foco de nossos esforços é o melhoramento contínuo da distribuição Gentoo Linux.  
+
Você pode estar se perguntando como o [[Metro]] cria seu primeiro stage tarball. Como você pode ter imaginado, [[Metro]] não pode criar um stage tarball. Para construi um novo stage tarball, [[Metro]] deve utilizar um já existente, antigo stage tarball chamado de uma "seed" stage. Essa semente "semente" stage tipicamente é utilizado com o ''ambiente build'' para a criação do stage que queremos.
  
O foco do desenvolvimento do Funtoo Linux é atualmente direcionado ao sistema central (core system), significando qualquer coisa em um stage3, portage, core languages, kernels, aplicações de servidor, e em cima do X11 e gerenciadores de janelas simples, e incluindo ambientes desktop como o GNOME e o KDE.
+
[[Metro]] pode utilizar dois tipos de semente stages. Tradicionalmente, [[Metro]] tem utilizado um stage3 como uma semente stage. Esse stage3 é então utilizado para construir um novo stage1, que em troca é utlilizado para construir um novo stage2, e então um novo stage3. Esse é geralmente o jeito mais confiável de construir [[Gentoo Linux]] ou [[Funtoo Linux]], entao essa é a recomendação recomendada.
 +
{{fancyimportant|'''Depois de portar o metro builds para o perfil do Funtoo, os stages do Gentoo não são mais fornecidos'''!}}
  
== Foco, Foco, Foco ==
+
== Sementes e Build Isolation ==
  
Os desenvolvedores devem utilizar esses princípios gerais para determinar em quais prioridades focar primeiro. -Essas áreas abaixo estão listadas em ordem de prioridade, então o próximo parágrafo é a mais alta prioridade (top priority), seguido pela próxima prioridade, etc. Só por que algo é prioridade mais baixa não significa que é "menos importante" - somente significa tratar as coisas de prioridades mais altas (higher-priority) primeiro.
+
Um outro conceito importante a mencionar aqui é algo chamando de ''build isolation''. Por que o [[Metro]] cria um ambiente build isolado, e o ambiente build é explicitamente definido utilizando entidades existentes, tangíveis -- uma semente stage e um portage snapshot -- você obterá resultados consistentes, repetíveis. Em outras palavras, a mesma semente stage, portage snapshot e instrções build gerarão resultados identico, mesmo se você desempenhar o um mês mais tarde em algum workstation de outro pessoa.
  
=== Constrói? ===
+
== Local Build ==  
  
* '''Constrói confiavelmente?'''
+
Digamos que você queira construir um novo tarball stage3 <tt>pentium4</tt>. O módo recomendado de se fazer isso seria apanhar um tarball stage3 <tt>pentium4</tt> existente como sua semente stage3 stage. Será dito ao [[Metro]] utilizar o stage3 <tt>pentium4</tt> existente para construir um novo stage1 para o mesmo <tt>pentium4</tt>. Para esse process, o stage3 para o <tt>pentium4</tt> genérico forneceria o ''ambiente build'' para a criação de nosso novo stage1. Então, o novo stage1 serviria como o ambiente build (build environment) para a criação do novo stage2 <tt>pentium4</tt>. E o novo stage2 para <tt>pentium4</tt> serviria como o ambiente build para a criação do novo stage3 para <tt>pentium4</tt>.
  
O primeiro teste - o software constrói a partir do código fonte corretamente? Isso não se trata somente de emergir ebuilds no seu sistema -- OS builds do stage funcionam sem problemas utilizando o Metro? Se não, isso precisa ser corrigido primeiro. O Funtoo Linux continuamente constrói lançamentos do sistema operacional atualizados, e essas devem ser construídas confiavelmente em todos os momentos. O foco aqui é para builds 100% corretos e eficientes utilizando o Metro, e depois emergindo aplicações iniciais em um sistema Funtoo Linux.
+
Na terminologia [[Metro]] isso é chamado de um '''local build''', que significa que um stage3 de uma dada arquitetura é utilizada para semear um build novo em folha da mesma arquitetura. Incidentalmente esse será o primeiro exercício que vamos realizar nesse tutorial.
  
=== Ele executa? ===
+
Uma semana depois, você pode querer construir um tarball stage3 para <tt>pentium4</tt> novo em folha. Ao invés de iniciar a partir do stage3 para <tt>pentium4</tt> original de novo, você provavelmente configuraria o [[Metro]] para utilizar o built stage3 para <tt>pentium4</tt> mais recente construído como a semente. [[Metro]] possui funcionalidade built-in para tornar isso fácil, permitindo facilmente encontrar e rastrear a semente stage3 mais recente disponível.
  
* '''Ele executa bem?'''
+
== Build Remoto ==
  
OK, ele constrói. Ele executa corretamente? Ele funciona? Isso é bem vago, então vamos colocar algumas especificações aqui. Quando instalar o Funtoo Linux a partir do stage3, tudo funciona? Quais complicações ou falhas foram  encontradas na instalação inicial? Essas devem ser corrigidas, ou soluções devem ser colocadas no lugar, e correções a longo prazo devem ser trabalhadas para melhorar a experiência do usuário. Lembre-se de que o foco do Funtoo Linux é no sistema central - Essa é a coisa que você toca quando você instala o Funtoo Linux pela primeira vez. Você deve reinstalar o Funtoo Linux regularmente para verificar por quaisquer questões e priorizar as questões de instalação do usuário e a experiência inicial do usuário.
+
[[Metro]] pode também desempenhar '''build remoto (remote build)''', onde um stage3 de uma arquitetura diferente, mas compatível binariamente, é utilizado como uma semente para construir um stage3 de arquitetura diferente. Consequencialidade, no segundo exercício que vamos realizar nesse tutorial será construir um tarball stage3 para <tt>core2 32bit</tt> a partir do tarball stage3 do <tt>pentium4</tt> que acabamos de construir.
  
=== Consigo Usá-lo? ===
+
TODO: adicione  ressalvas a respeito de quais arquiteturas podem ser semeadas e quais não podem (talvez um table?)
  
* '''Facilmente?'''
+
== Build Adaptado ==
* '''Para Trabalho de Verdade?'''
+
  
OK, ele constrói, e executa. Mas eu posso realizar tarefas de verdade com a ferramenta? Qual é a facilidade ou dificuldade  de realizar essas tarefas? A tecnologia (e documentação) devem ser projetadas para oferecer suporte ao usuário na questão de realizar estas tarefas, ao invés de forçar o usuário a saltar por arcos para obter algo configurado corretamente. As coisas devem ser automatizadas o tanto o quanto possível sem assumir controle distante do usuário. Padrões seguros, razoáveis que são adequados para a cargas produtivas devem ser utilizadas por todas as aplicações. As coisas devem emergir sem bloqueadores ou ausência de recursos que devem ser habilitadas manualmente pelo usuário. E uma implicância - se o emerge parar para dizer ao usuário que ele deve definir uma variável USE para que continue, isso é algo que deve ser corrigido de um jeito ou de outro. Então, quando tudo é dito e feito, ele deve funcionar.
+
Por ultimo, também é válido tanto <tt>local</tt> e <tt>builds remotos</tt>, [[Metro]] pode ser configurado para adicionar e/ou remover pacotes individuais ao ultimo tarball.
 +
Digamos que você não consiga viver sem <tt>app-misc/screen</tt>, no final desse tutorial, mostraremos como obter o seu stage3 adaptado para incluí-lo.
  
=== É Documentado? ===
+
== Instalar o Metro ==
  
* '''Para projetos de software livre, documentação é a chave.'''
+
'''O método recomendado e que possui suporte''' é utilizar o repositório Git do [[Metro]]. 
  
Se o software, executa e funciona, outros ainda podem ainda não ser capaz de utilizá-lo até que documentação adequada esteja disponível. Documentação montante nem sempre é completa ou fácil de entender, então frequente documentação adicional para usuário é necessária. Se etapas do manual são necessárias, elas devem ser documentadas claramente e corretamente. A opção de escolha da documentação é a Funtoo wiki tão bem quanto as man pages.
+
Asegure-se de que {{Package|dev-vcs/git}} e {{Package|dev-python/boto}} (opcional; exigido para suporte EC2) sejam estalados no seu sistema:
  
Para o código fonte, comentários bem detalhados devem ser utilizados. Você pode estar trabalhando no código agora, mas outra pessoa poderá estar trabalhando nele daqui a seis meses. É esperado que desenvolvedores escrevam comentários claros que sejam suficientemente não-técnicos e forneça o contexto necessário para permitir que desenvolvedores menos experiente entendam partes criticas do código, e idealmente ''''todas'''' as partes do código. Por favor veja [[Coding_Standards/pt-br|Padrões de Código]].
+
<console>
 +
# ##i##emerge dev-vcs/git
 +
# ##i##emerge dev-python/boto
 +
</console>
  
=== É bem projetado? ===
+
Depois, clone o master git repository como a seguir:
  
* '''Otimizado?'''
+
<console>
* '''Sustentável?'''
+
# ##i##cd /root
 +
# ##i##git clone git://github.com/funtoo/metro.git
 +
# ##i##cp /root/metro/metro.conf ~/.metro
 +
</console>
  
Ele constrói e executa, e eu posso utilizá-lo para realizar trabalho de verdade. Mas o sistema é bem projetado? Ele funciona confiavelmente? Todos os patches estão disponíveis e corrige o lugar para assegurar uma experiencia computacional confiável? O Funtoo Linux está fornecendo a melhor tecnologia possível aos usuários? E essa tecnologia é fácil de manter? lembre-se, todas as coisas sendo iguais, menos código é melhor que mais código por que é mais fácil de manter. Há comentários detalhados no código aonde é necessário?
+
Agora você terá o diretório chamado <tt>/root/metro</tt> que contem todo o código fonte do [[Metro]].
  
=== Estamos melhorando? ===
+
O Metro agora está instalado. É hora de personalizá-lo para o seu sistema local.
  
OK, estamos fazendo todas as etapas acima. Aqui está o próximo teste - estamos melhorando? A qualidade, segurança, usabilidade e a manutenção da distribuição está melhorando com o tempo, ou ela está subindo, e depois descendo, e não estamos mesmo tendo nenhum progresso? O objetivo no final do dia é obter progresso avançado no qualidade da distribuição. Isso requer automação melhor, ferramentas melhores, processos melhores, e investimento em pesquisa e desenvolvimento e novos métodos de fazer coisas. Isso também requer a atitude correta. Se estivermos fazendo um monte de trabalho e a qualidade global da distribuição não estiver melhorando, então nossos esforços não estão fazendo diferença a longo prazo, mesmo que eles possam estar tratando bugs e problemas imediatos. Temos que garantir que nossos esforços venham valer a pena, e que eles estão fazendo uma diferença positiva a longo prazo na qualidade da distribuição.
+
= Configuring Metro =
  
=== Qual o verdadeiro problema? ===
+
{{Note|Metro não é atualmente capaz de construir stages do Gentoo. Veja {{Bug|FL-901}}.}}
  
Construindo nesse tema - quando um bug é encontrado, qual é o ''verdadeiro'' problema, ou a ''raiz (root cause)''? Pensamento estratégico tão bem quanto uma resolução profunda (in-depth troubleshooting) é necessária para identificar a raiz do problema. Devemos somente corrigir as raízes? Não, isso é impraticável, por que fazer isso leva muito tempo. Ao invés disso, soluções alternativas são com frequência utilizadas para restauras rapidamente a qualidade à níveis aceitáveis. No entanto, somente implementar soluções alternativas é perigoso, por que os bugs tendem a multiplicar-se enquanto a questão subjacente não for solucionada. A solução adequada é implementar soluções alternativas mas não perder o foco no necessário para tratar as questões subjacentes, ou raízes, do problema. De fato, muito do foco do Funtoo Linux está nessa ultima etapa - agressivamente corrigindo um monte de questões imediatas assim nós podemos começar a tratar os problemas mais profundos de uma vez por todas...
+
[[User:Drobbins|Daniel Robbins]] mantem o [[Metro]], então ele vem pré-configurado para construir com sucesso os lançamentos do [[Funtoo Linux]]. Antes de ler mais adiante, você pode querer personalizar algumas configurações básicas como o o número de de jobs simultâneos para se encaixar as compatibilidades do seu hardware ou o diretório para utilizar arquivos stage produzidos. Isso é excelente ao editar <tt>~/.metro</tt> a qual é o arquivo de configuração [[Metro]]'s master.
  
=== Arquitetura ===
+
Por favor, note que o <code>path/install</code> deve apontar para aonde o metro foi instalado. Aponte <code>path/distfiles</code> para aonde seus distfiles residem. Defina também  <code>path/mirror/owner</code> e <code>path/mirror/group</code> para o proprietário e grupo de todos os arquivos que serão escritos para construir o diretório do repositório, which by default (as per the configuration file) is at <code>/home/mirror/funtoo</code>. The cache directory normally resides inside the temp directory -- this can be modified as desired. The cache directory can end up holding many cached .tbz2 packages, and eat up a lot of storage. You may want to place the temp directory on faster storage, for faster compile times, and place the cache directory on slower, but more plentiful storage.
  
...e tratar da raiz de problemas com frequência requer uma mudança significativa na arquitetura de software. Funtoo Linux é um projeto que não tem medo de fazer alterações arquitetônicas significantes, e mesmo agressivas, a fim de corrigir problemas. Isso é o que os nossos usuários esperam que façamos, e ''desde que essas alterações sejam propriamente testadas, gerenciadas, planejadas, automatizadas e comunicadas aos usuários'', eles não irão se chatear. Conforme declarado no parágrafo anterior, o projeto Funtoo Linux é zeloso a respeito de tratar esses problemas centrais de arquitetura -- mas nós precisamos controlar os desafios mais fundamentais primeiro. Uma vez soluções alternativas estão no lugar, levaremos uma punhalada em alguma alteração no sistema central que pagarão dividendos bem no futuro.
+
{{file|name=.metro|desc=Metro configuration|body=
 +
# Main metro configuration file - these settings need to be tailored to your install:
  
== Exemplos ==
+
[section path]
 +
install: /root/metro
 +
tmp: /var/tmp/metro
 +
cache: $[path/tmp]/cache
 +
distfiles: /var/src/distfiles
 +
work: $[path/tmp]/work/$[target/build]/$[target/name]
  
Abaixo, você encontrará exemplos de esforços que tem alinhados a esses objetivos. Essa seção lhe dará uma sensação do quanto projetos reais podem ser iniciados que se alinham com a visão do Funtoo Linux definida acima.
+
[section path/mirror]
  
=== Boot-Update ===
+
: /home/mirror/funtoo
 +
owner: root
 +
group: repomgr
 +
dirmode: 775
  
[[Boot-Update/pt-br|Boot-Update]] foi projetado por Daniel Robbins para prover um jeito mais elegante de configurar o carregador de boot sob o Funtoo Linux. Esse projeto foi priorizado por várias rasões. Uma, esse projeto tinha que fazer com que a experiência da instalação inicial (veja [[#Ele executa?]]) Também, ausência do suporte ao GRUB2, tão bem quanto o suporte ao GPT/GUID, foi definido como um ponto fraco crítica na funcionalidade atual do Gentoo Linux (veja [[#É bem projetado?]]) Por isso, um novo configurador unificado foi escrito que utiliza <tt>/etc/boot.conf</tt> como arquivo de configuração para o carregador de boot global. Isso representa a mudança na arquitetura do carregador de boot (veja [[#Arquitetura]]) sob o  Funtoo Linux, a fim de melhorar a usabilidade e a flexibilidade em soluções existentes, e tentar reduzir ou eliminar uma classe de problemas relacionadas a configuração do carregador de boot, que é especialmente problemático no GRUB2.
+
[section portage]
  
=== Metro ===
+
MAKEOPTS: auto
  
[[Metro/pt-br|Metro]] foi projetado por Daniel Robbins e é utilizado para tratar a questão do "[[#Constrói?]]". A solução existente, catalyst, foi difícil de manter (veja [[#É bem projetado?]]), então  Metro foi desenvolvido para prover um  novo mecanismo para a construção de lançamentos de sistema operacional (OS releases).
+
[section emerge]
  
=== Forked Ebuilds ===
+
options: --jobs=4 --load-average=4 --keep-going=n
  
Nem todas as melhoras envolvem grandes esforços no desenvolvimento de software. De fato, a maioria das correções envolvem correções relativamente pequenas para os ebuilds. Essas correções são com frequência feitas para corrigir uma falha no Metro build (veja [[#Constrói?]]) ou tratar de alguma questão de qualidade (veja [[#É bem projetado?]]). O ebuild <tt>www-servers/nginx</tt> foi melhorado para prover melhores configurações padrões para sistemas de produção, com alterações correspondentes feitas ao <tt>sys-libs/pam</tt> para permitir que isso funcione. <tt>dev-lang/python</tt> contem correções para assegurar que o contem correções para assegurar que Metro builds complete corretamente e um symlink <tt>/usr/bin/python</tt> válido sempre exista.
+
# This line should not be modified:
 +
[collect $[path/install]/etc/master.conf]
 +
}}
  
=== OpenVZ ===
+
== Arch and Subarch ==
  
Suporte a OpenVZ é uma prioridade específica do Funtoo Linux. Funtoo Linux mantem um patched <tt>sys-cluster/vzctl</tt> com vários patches para corrigir uma variedade de  problemas. Em adição, <tt>openvz-rhel6-stable</tt> e <tt>openvz-rhel5-stable</tt> ebuilds tem sido criados para facilitar a instalação de kernels OpenVZ de qualidade para produção (veja [[#Consigo Usá-lo?]]) em adição, documentação [[OpenVZ]] existe no wiki (veja [[#Consigo Usá-lo?]])
+
In the following example we are creating a pentium4 stage 3 compiled for x86-32bit binary compatibility. Pentium4 is a subarch of the x86-32bit architecture. Once you have metro installed you may find a full list of each subarch in your <tt>/root/metro/subarch</tt> directory each subarch will have the file extension .spec
 +
Example:
 +
<console>
 +
###i## ls /root/metro/subarch
 +
# ls subarch/
 +
amd64-bulldozer-pure64.spec  armv7a.spec          core-avx-i.spec        i686.spec        pentium.spec
 +
amd64-bulldozer.spec        armv7a_hardfp.spec  core2_32.spec          k6-2.spec        pentium2.spec
 +
amd64-k10-pure64.spec        athlon-4.spec        core2_64-pure64.spec    k6-3.spec        pentium3.spec
 +
amd64-k10.spec              athlon-mp.spec      core2_64.spec          k6.spec          pentium4.spec
 +
amd64-k8+sse3.spec          athlon-tbird.spec    corei7-pure64.spec      native_32.spec    pentiumpro.spec
 +
amd64-k8+sse3_32.spec        athlon-xp.spec      corei7.spec            native_64.spec    prescott.spec
 +
amd64-k8-pure64.spec        athlon.spec          generic_32.spec        niagara.spec      ultrasparc.spec
 +
amd64-k8.spec                atom_32.spec        generic_64-pure64.spec  niagara2.spec    ultrasparc3.spec
 +
amd64-k8_32.spec            atom_64-pure64.spec  generic_64.spec        nocona.spec      xen-pentium4+sse3.spec
 +
armv5te.spec                atom_64.spec        generic_sparcv9.spec    opteron_64.spec  xen-pentium4+sse3_64.spec
 +
armv6j.spec                  btver1.spec          geode.spec              pentium-m.spec
 +
armv6j_hardfp.spec          btver1_64.spec      i486.spec              pentium-mmx.spec
 +
</console>
  
[[Category:QA]]
+
= First stages build (local build) =
 +
 
 +
To get this all started, we need to bootstrap the process by downloading an initial seed stage3 to use for building and place it in its proper location in <tt>/home/mirror/funtoo</tt>, so that [[Metro]] can find it. We will also need to create some special &quot;control&quot; files in <tt>/home/mirror/funtoo</tt>, which will allow [[Metro]] to understand how it is supposed to proceed.
 +
 
 +
== Step 1: Set up pentium4 repository (local build) ==
 +
 
 +
Assuming we're following the basic steps outlined in the previous section, and building an unstable funtoo (<tt>funtoo-current</tt>) build for the <tt>pentium4</tt>, using a generic <tt>pentium4</tt> stage3 as a seed stage, then here the first set of steps we'd perform:
 +
 
 +
<console>
 +
# ##i##install -d /home/mirror/funtoo/funtoo-current/x86-32bit/pentium4
 +
# ##i##install -d /home/mirror/funtoo/funtoo-current/snapshots
 +
# ##i##cd /home/metro/mirror/funtoo/funtoo-current/x86-32bit/pentium4
 +
# ##i##install -d 2011-12-13
 +
# ##i##cd 2011-12-13
 +
# ##i##wget -c http://ftp.osuosl.org/pub/funtoo/funtoo-current/x86-32bit/pentium4/2011-12-13/stage3-pentium4-funtoo-current-2011-12-13.tar.xz
 +
# ##i##cd ..
 +
# ##i##install -d .control/version
 +
# ##i##echo "2011-12-13" > .control/version/stage3
 +
# ##i##install -d .control/strategy
 +
# ##i##echo local >  .control/strategy/build
 +
# ##i##echo stage3 > .control/strategy/seed
 +
</console>
 +
 
 +
OK, let's review the steps above. First, we create the directory <tt>/home/mirror/funtoo/funtoo-current/x86-32bit/pentium4</tt>, which is where Metro will expect to find unstable <tt>funtoo-current</tt> pentium4 builds -- it is configured to look here by default. Then we create a specially-named directory to house our seed x86 stage3. Again, by default, Metro expects the directory to be named this way. We enter this directory, and download our seed x86 stage3 from funtoo.org. Note that the <tt>2010-12-24</tt> version stamp matches. Make sure that your directory name matches the stage3 name too. Everything has been set up to match Metro's default filesystem layout.
 +
 
 +
Next, we go back to the <tt>/home/mirror/metro/funtoo-current/x86-32bit/pentium4</tt> directory, and inside it, we create a <tt>.control</tt> directory. This directory and its subdirectories contain special files that Metro references to determine certain aspects of its behavior. The <tt>.control/version/stage3</tt> file is used by Metro to track the most recently-built stage3 for this particular build and subarch. Metro will automatically update this file with a new version stamp after it successfully builds a new stage3. But because Metro didn't actually ''build'' this stage3, we need to set up the <tt>.control/version/stage3</tt> file manually. This will allow Metro to find our downloaded stage3 when we set up our pentium4 build to use it as a seed. Also note that Metro will create a similar <tt>.control/version/stage1</tt> file after it successfully builds an pentium4 funtoo-current stage1.
 +
 
 +
We also set up <tt>.control/strategy/build</tt> and <tt>.control/strategy/seed</tt> files with values of <tt>local</tt> and <tt>stage3</tt> respectively. These files define the building strategy Metro will use when we build pentium4 funtoo-current stages. With a build strategy of <tt>local</tt>, Metro will source its seed stage from funtoo-current pentium4, the current directory. And with a seed strategy of <tt>stage3</tt>, Metro will use a stage3 as a seed, and use this seed to build a new stage1, stage2 and stage3.
 +
 
 +
== Step 2: Building the pentium4 stages ==
 +
 
 +
Incidentally, if all you wanted to do at this point was to build a new pentium4 funtoo-current stage1/2/3 (plus openvz and vserver templates). You would begin the process by typing:
 +
 
 +
<console>
 +
# ##i##cd /root/metro
 +
# ##i##scripts/ezbuild.sh funtoo-current pentium4
 +
</console>
 +
 
 +
If you have a slow machine, it could take several hours to be completed because several "heavy" components like gcc or glibc have to be recompiled in each stage. Once a stage has been successfully completed, it is placed in the <tt>"${METRO_MIRROR}/funtoo-current/x32-bit/pentium4/YYYY-MM-DD"</tt> subdirectory, where <tt>YYYY-MM-DD</tt> is today's date at the time the <tt>ezbuild.sh</tt> script was started or the date you put on the ezscript.sh command line.
 +
 
 +
= Building for another binary compatible architecture (remote build) =
 +
 
 +
As written above, [[Metro]] is able to perform '''remote build''' building different architecture stage3 from a binary compatible seeding stage3 (e.g. using a pentium4 stage3 to seed a <tt>Intel Core2 32bits</tt> stage3).
 +
 
 +
In the Metro terminology this is called a '''remote build''' (a stage 3 of a different, but binary compatible, architecture is used as a seed).
 +
What's not compatible? You can't use a <tt>Sparc</tt> architecture to generate an <tt>x86</tt> or <tt>ARM</tt> based stage and vice-versa. If you use a 32bit stage then you don't want to seed a 64bit build from it. Be sure that you are using a stage from the same architecture that you are trying to seed. Check [http://ftp.osuosl.org/pub/funtoo/funtoo-current/ Funtoo-current FTP Mirror] for a stage that is from the same Architecture that you will be building. 
 +
 
 +
{{Note|Often, one build (ie. funtoo-current) can be used as a seed for another build such as funtoo-stable. However, hardened builds require hardened stages as seeds in order for the build to complete successfully.}}
 +
 
 +
== Step 1: Set up Core_2 32bit repository ==
 +
 
 +
In this example, we're going to use this pentium4 funtoo-current stage3 to seed a new Core_2 32bit funtoo-current build. To get that done, we need to set up the pentium4 build directory as follows:
 +
 
 +
<console>
 +
# ##i## cd /home/mirror/funtoo/funtoo-current/x86-32bit
 +
# ##i##install -d core2_32
 +
# ##i##cd core2_32
 +
# ##i##install -d .control/strategy
 +
# ##i##echo remote > .control/strategy/build
 +
# ##i##echo stage3 > .control/strategy/seed
 +
# ##i##install -d .control/remote
 +
# ##i##echo funtoo-current > .control/remote/build
 +
# ##i##echo x86-32bit > .control/remote/arch_desc
 +
# ##i##echo pentium4 > .control/remote/subarch
 +
</console>
 +
 
 +
The steps we follow are similar to those we performed for a ''local build'' to set up our pentium4 directory for local build. However, note the differences. We didn't download a stage, because we are going to use the pentium4 stage to build a new Core_2 32bit stage. We also didn't create the <tt>.control/version/stage{1,3}</tt> files because Metro will create them for us after it successfully builds a new stage1 and stage3. We are still using a <tt>stage3</tt> seed strategy, but we've set the build strategy to <tt>remote</tt>, which means that we're going to use a seed stage that's not from this particular subdirectory. Where are we going to get it from? The <tt>.control/remote</tt> directory contains this information, and lets Metro know that it should look for its seed stage3 in the <tt>/home/mirror/funtoo/funtoo-current/x86-32bit/pentium4</tt> directory. Which one will it grab? You guessed it -- the most recently built ''stage3'' (since our seed strategy was set to <tt>stage3</tt>) that has the version stamp of <tt>2010-12-24</tt>, as recorded in <tt>/home/mirror/funtoo-current/x86-32bit/pentium4/.control/version/stage</tt>. Now you can see how all those control files come together to direct Metro to do the right thing.
 +
 
 +
{{Note|<code>arch_desc</code> should be set to one of: <code>x86-32bit</code>, <code>x86-64bit</code> or <code>pure64</code> for PC-compatible systems. You must use a 32-bit build as a seed for other 32-bit builds, and a 64-bit build as a seed for other 64-bit builds.}}
 +
 
 +
== Step 2: Building the Core_2 32bit stages ==
 +
 
 +
Now, you could start building your new Core_2 32bit stage1/2/3 (plus openvz and vserver templates) by typing the following:
 +
 
 +
<console>
 +
# ##i##/root/metro/scripts/ezbuild.sh funtoo-current core2_32
 +
</console>
 +
 
 +
In that case, the produced stages are placed in the <tt>/home/mirror/funtoo/funtoo-current/x32-bit/core2_32/YYYY-MM-DD</tt> subdirectory.
 +
 
 +
== Step 3: The Next Build ==
 +
 
 +
At this point, you now have a new Core_2 32bit stage3, built using a "remote" pentium4 stage3. Once the first remote build completes successfully, metro will automatically change <code>.control/strategy/build</code> to be <code>local</code> instead of <code>remote</code>, so it will use the most recently-built Core_2 32bit stage3 as a seed for any new Core_2 32bit builds from now on.
 +
 
 +
= Build your own tailored stage3 =
 +
 
 +
Metro can be easily configured for building custom stage3 by including additional packages. Edit the following configuration file <tt>/root/metro/etc/builds/funtoo-current/build.conf</tt>:
 +
{{file|name=funtoo-current/build.conf|body=
 +
[collect ../../fslayouts/funtoo/layout.conf]
 +
 
 +
[section release]
 +
 
 +
author: Daniel Robbins <drobbins@funtoo.org>
 +
 
 +
[section target]
 +
 
 +
compression: xz
 +
 
 +
[section portage]
 +
 
 +
FEATURES:
 +
SYNC: $[snapshot/source/remote]
 +
USE:
 +
 
 +
[section profile]
 +
 
 +
format: new
 +
path: gentoo:funtoo/1.0/linux-gnu
 +
arch: $[:path]/arch/$[target/arch_desc]
 +
build: $[:path]/build/current
 +
flavor: $[:path]/flavor/core
 +
mix-ins:
 +
 
 +
[section version]
 +
 
 +
python: 2.7
 +
 
 +
[section emerge]
 +
 
 +
 
 +
[section snapshot]
 +
 
 +
type: live
 +
compression: xz
 +
 
 +
[section snapshot/source]
 +
 
 +
type: git
 +
branch: funtoo.org
 +
# branch to have checked out for tarball:
 +
branch/tar: origin/master
 +
name: ports-2012
 +
remote: git://github.com/funtoo/ports-2012.git
 +
options: pull
 +
 
 +
[section metro]
 +
 
 +
options:
 +
options/stage: cache/package
 +
target: gentoo
 +
 
 +
[section baselayout]
 +
 
 +
services: sshd
 +
 
 +
[section multi]
 +
 
 +
snapshot: snapshot
 +
 
 +
[section files]
 +
 
 +
motd/trailer: [
 +
 
 +
>>> Send suggestions, improvements, bug reports relating to...
 +
 
 +
>>> This release:                  $[release/author]
 +
>>> Funtoo Linux (general):        Funtoo Linux (http://www.funtoo.org)
 +
>>> Gentoo Linux (general):        Gentoo Linux (http://www.gentoo.org)
 +
]
 +
 
 +
[collect ../../multi-targets/$[multi/mode:zap]]
 +
}}

Revision as of 10:58, January 15, 2015

Prefácio

Como o Metro Funciona

Você pode estar se perguntando como o Metro cria seu primeiro stage tarball. Como você pode ter imaginado, Metro não pode criar um stage tarball. Para construi um novo stage tarball, Metro deve utilizar um já existente, antigo stage tarball chamado de uma "seed" stage. Essa semente "semente" stage tipicamente é utilizado com o ambiente build para a criação do stage que queremos.

Metro pode utilizar dois tipos de semente stages. Tradicionalmente, Metro tem utilizado um stage3 como uma semente stage. Esse stage3 é então utilizado para construir um novo stage1, que em troca é utlilizado para construir um novo stage2, e então um novo stage3. Esse é geralmente o jeito mais confiável de construir Gentoo Linux ou Funtoo Linux, entao essa é a recomendação recomendada.

Important

Depois de portar o metro builds para o perfil do Funtoo, os stages do Gentoo não são mais fornecidos!

Sementes e Build Isolation

Um outro conceito importante a mencionar aqui é algo chamando de build isolation. Por que o Metro cria um ambiente build isolado, e o ambiente build é explicitamente definido utilizando entidades existentes, tangíveis -- uma semente stage e um portage snapshot -- você obterá resultados consistentes, repetíveis. Em outras palavras, a mesma semente stage, portage snapshot e instrções build gerarão resultados identico, mesmo se você desempenhar o um mês mais tarde em algum workstation de outro pessoa.

Local Build

Digamos que você queira construir um novo tarball stage3 pentium4. O módo recomendado de se fazer isso seria apanhar um tarball stage3 pentium4 existente como sua semente stage3 stage. Será dito ao Metro utilizar o stage3 pentium4 existente para construir um novo stage1 para o mesmo pentium4. Para esse process, o stage3 para o pentium4 genérico forneceria o ambiente build para a criação de nosso novo stage1. Então, o novo stage1 serviria como o ambiente build (build environment) para a criação do novo stage2 pentium4. E o novo stage2 para pentium4 serviria como o ambiente build para a criação do novo stage3 para pentium4.

Na terminologia Metro isso é chamado de um local build, que significa que um stage3 de uma dada arquitetura é utilizada para semear um build novo em folha da mesma arquitetura. Incidentalmente esse será o primeiro exercício que vamos realizar nesse tutorial.

Uma semana depois, você pode querer construir um tarball stage3 para pentium4 novo em folha. Ao invés de iniciar a partir do stage3 para pentium4 original de novo, você provavelmente configuraria o Metro para utilizar o built stage3 para pentium4 mais recente construído como a semente. Metro possui funcionalidade built-in para tornar isso fácil, permitindo facilmente encontrar e rastrear a semente stage3 mais recente disponível.

Build Remoto

Metro pode também desempenhar build remoto (remote build), onde um stage3 de uma arquitetura diferente, mas compatível binariamente, é utilizado como uma semente para construir um stage3 de arquitetura diferente. Consequencialidade, no segundo exercício que vamos realizar nesse tutorial será construir um tarball stage3 para core2 32bit a partir do tarball stage3 do pentium4 que acabamos de construir.

TODO: adicione ressalvas a respeito de quais arquiteturas podem ser semeadas e quais não podem (talvez um table?)

Build Adaptado

Por ultimo, também é válido tanto local e builds remotos, Metro pode ser configurado para adicionar e/ou remover pacotes individuais ao ultimo tarball. Digamos que você não consiga viver sem app-misc/screen, no final desse tutorial, mostraremos como obter o seu stage3 adaptado para incluí-lo.

Instalar o Metro

O método recomendado e que possui suporte é utilizar o repositório Git do Metro.

Asegure-se de que Package:Git e dev-python/boto (package not on wiki - please add) (opcional; exigido para suporte EC2) sejam estalados no seu sistema:

# emerge dev-vcs/git
# emerge dev-python/boto

Depois, clone o master git repository como a seguir:

# cd /root
# git clone git://github.com/funtoo/metro.git
# cp /root/metro/metro.conf ~/.metro

Agora você terá o diretório chamado /root/metro que contem todo o código fonte do Metro.

O Metro agora está instalado. É hora de personalizá-lo para o seu sistema local.

Configuring Metro

Note

Metro não é atualmente capaz de construir stages do Gentoo. Veja FL-901.

Daniel Robbins mantem o Metro, então ele vem pré-configurado para construir com sucesso os lançamentos do Funtoo Linux. Antes de ler mais adiante, você pode querer personalizar algumas configurações básicas como o o número de de jobs simultâneos para se encaixar as compatibilidades do seu hardware ou o diretório para utilizar arquivos stage produzidos. Isso é excelente ao editar ~/.metro a qual é o arquivo de configuração Metro's master.

Por favor, note que o path/install deve apontar para aonde o metro foi instalado. Aponte path/distfiles para aonde seus distfiles residem. Defina também path/mirror/owner e path/mirror/group para o proprietário e grupo de todos os arquivos que serão escritos para construir o diretório do repositório, which by default (as per the configuration file) is at /home/mirror/funtoo. The cache directory normally resides inside the temp directory -- this can be modified as desired. The cache directory can end up holding many cached .tbz2 packages, and eat up a lot of storage. You may want to place the temp directory on faster storage, for faster compile times, and place the cache directory on slower, but more plentiful storage.

.metro - Metro configuration
# Main metro configuration file - these settings need to be tailored to your install:

[section path]
install: /root/metro
tmp: /var/tmp/metro
cache: $[path/tmp]/cache
distfiles: /var/src/distfiles
work: $[path/tmp]/work/$[target/build]/$[target/name]

[section path/mirror]

: /home/mirror/funtoo
owner: root
group: repomgr
dirmode: 775

[section portage]

MAKEOPTS: auto 

[section emerge]

options: --jobs=4 --load-average=4 --keep-going=n

# This line should not be modified:
[collect $[path/install]/etc/master.conf]

Arch and Subarch

In the following example we are creating a pentium4 stage 3 compiled for x86-32bit binary compatibility. Pentium4 is a subarch of the x86-32bit architecture. Once you have metro installed you may find a full list of each subarch in your /root/metro/subarch directory each subarch will have the file extension .spec Example:

# ls /root/metro/subarch
# ls subarch/
amd64-bulldozer-pure64.spec  armv7a.spec          core-avx-i.spec         i686.spec         pentium.spec
amd64-bulldozer.spec         armv7a_hardfp.spec   core2_32.spec           k6-2.spec         pentium2.spec
amd64-k10-pure64.spec        athlon-4.spec        core2_64-pure64.spec    k6-3.spec         pentium3.spec
amd64-k10.spec               athlon-mp.spec       core2_64.spec           k6.spec           pentium4.spec
amd64-k8+sse3.spec           athlon-tbird.spec    corei7-pure64.spec      native_32.spec    pentiumpro.spec
amd64-k8+sse3_32.spec        athlon-xp.spec       corei7.spec             native_64.spec    prescott.spec
amd64-k8-pure64.spec         athlon.spec          generic_32.spec         niagara.spec      ultrasparc.spec
amd64-k8.spec                atom_32.spec         generic_64-pure64.spec  niagara2.spec     ultrasparc3.spec
amd64-k8_32.spec             atom_64-pure64.spec  generic_64.spec         nocona.spec       xen-pentium4+sse3.spec
armv5te.spec                 atom_64.spec         generic_sparcv9.spec    opteron_64.spec   xen-pentium4+sse3_64.spec
armv6j.spec                  btver1.spec          geode.spec              pentium-m.spec
armv6j_hardfp.spec           btver1_64.spec       i486.spec               pentium-mmx.spec

First stages build (local build)

To get this all started, we need to bootstrap the process by downloading an initial seed stage3 to use for building and place it in its proper location in /home/mirror/funtoo, so that Metro can find it. We will also need to create some special "control" files in /home/mirror/funtoo, which will allow Metro to understand how it is supposed to proceed.

Step 1: Set up pentium4 repository (local build)

Assuming we're following the basic steps outlined in the previous section, and building an unstable funtoo (funtoo-current) build for the pentium4, using a generic pentium4 stage3 as a seed stage, then here the first set of steps we'd perform:

# install -d /home/mirror/funtoo/funtoo-current/x86-32bit/pentium4
# install -d /home/mirror/funtoo/funtoo-current/snapshots
# cd /home/metro/mirror/funtoo/funtoo-current/x86-32bit/pentium4
# install -d 2011-12-13
# cd 2011-12-13
# wget -c http://ftp.osuosl.org/pub/funtoo/funtoo-current/x86-32bit/pentium4/2011-12-13/stage3-pentium4-funtoo-current-2011-12-13.tar.xz
# cd ..
# install -d .control/version
# echo "2011-12-13" > .control/version/stage3
# install -d .control/strategy
# echo local >  .control/strategy/build
# echo stage3 > .control/strategy/seed

OK, let's review the steps above. First, we create the directory /home/mirror/funtoo/funtoo-current/x86-32bit/pentium4, which is where Metro will expect to find unstable funtoo-current pentium4 builds -- it is configured to look here by default. Then we create a specially-named directory to house our seed x86 stage3. Again, by default, Metro expects the directory to be named this way. We enter this directory, and download our seed x86 stage3 from funtoo.org. Note that the 2010-12-24 version stamp matches. Make sure that your directory name matches the stage3 name too. Everything has been set up to match Metro's default filesystem layout.

Next, we go back to the /home/mirror/metro/funtoo-current/x86-32bit/pentium4 directory, and inside it, we create a .control directory. This directory and its subdirectories contain special files that Metro references to determine certain aspects of its behavior. The .control/version/stage3 file is used by Metro to track the most recently-built stage3 for this particular build and subarch. Metro will automatically update this file with a new version stamp after it successfully builds a new stage3. But because Metro didn't actually build this stage3, we need to set up the .control/version/stage3 file manually. This will allow Metro to find our downloaded stage3 when we set up our pentium4 build to use it as a seed. Also note that Metro will create a similar .control/version/stage1 file after it successfully builds an pentium4 funtoo-current stage1.

We also set up .control/strategy/build and .control/strategy/seed files with values of local and stage3 respectively. These files define the building strategy Metro will use when we build pentium4 funtoo-current stages. With a build strategy of local, Metro will source its seed stage from funtoo-current pentium4, the current directory. And with a seed strategy of stage3, Metro will use a stage3 as a seed, and use this seed to build a new stage1, stage2 and stage3.

Step 2: Building the pentium4 stages

Incidentally, if all you wanted to do at this point was to build a new pentium4 funtoo-current stage1/2/3 (plus openvz and vserver templates). You would begin the process by typing:

# cd /root/metro
# scripts/ezbuild.sh funtoo-current pentium4

If you have a slow machine, it could take several hours to be completed because several "heavy" components like gcc or glibc have to be recompiled in each stage. Once a stage has been successfully completed, it is placed in the "${METRO_MIRROR}/funtoo-current/x32-bit/pentium4/YYYY-MM-DD" subdirectory, where YYYY-MM-DD is today's date at the time the ezbuild.sh script was started or the date you put on the ezscript.sh command line.

Building for another binary compatible architecture (remote build)

As written above, Metro is able to perform remote build building different architecture stage3 from a binary compatible seeding stage3 (e.g. using a pentium4 stage3 to seed a Intel Core2 32bits stage3).

In the Metro terminology this is called a remote build (a stage 3 of a different, but binary compatible, architecture is used as a seed). What's not compatible? You can't use a Sparc architecture to generate an x86 or ARM based stage and vice-versa. If you use a 32bit stage then you don't want to seed a 64bit build from it. Be sure that you are using a stage from the same architecture that you are trying to seed. Check Funtoo-current FTP Mirror for a stage that is from the same Architecture that you will be building.

Note

Often, one build (ie. funtoo-current) can be used as a seed for another build such as funtoo-stable. However, hardened builds require hardened stages as seeds in order for the build to complete successfully.

Step 1: Set up Core_2 32bit repository

In this example, we're going to use this pentium4 funtoo-current stage3 to seed a new Core_2 32bit funtoo-current build. To get that done, we need to set up the pentium4 build directory as follows:

#  cd /home/mirror/funtoo/funtoo-current/x86-32bit
# install -d core2_32
# cd core2_32
# install -d .control/strategy
# echo remote > .control/strategy/build
# echo stage3 > .control/strategy/seed
# install -d .control/remote
# echo funtoo-current > .control/remote/build
# echo x86-32bit > .control/remote/arch_desc
# echo pentium4 > .control/remote/subarch

The steps we follow are similar to those we performed for a local build to set up our pentium4 directory for local build. However, note the differences. We didn't download a stage, because we are going to use the pentium4 stage to build a new Core_2 32bit stage. We also didn't create the .control/version/stage{1,3} files because Metro will create them for us after it successfully builds a new stage1 and stage3. We are still using a stage3 seed strategy, but we've set the build strategy to remote, which means that we're going to use a seed stage that's not from this particular subdirectory. Where are we going to get it from? The .control/remote directory contains this information, and lets Metro know that it should look for its seed stage3 in the /home/mirror/funtoo/funtoo-current/x86-32bit/pentium4 directory. Which one will it grab? You guessed it -- the most recently built stage3 (since our seed strategy was set to stage3) that has the version stamp of 2010-12-24, as recorded in /home/mirror/funtoo-current/x86-32bit/pentium4/.control/version/stage. Now you can see how all those control files come together to direct Metro to do the right thing.

Note

arch_desc should be set to one of: x86-32bit, x86-64bit or pure64 for PC-compatible systems. You must use a 32-bit build as a seed for other 32-bit builds, and a 64-bit build as a seed for other 64-bit builds.

Step 2: Building the Core_2 32bit stages

Now, you could start building your new Core_2 32bit stage1/2/3 (plus openvz and vserver templates) by typing the following:

# /root/metro/scripts/ezbuild.sh funtoo-current core2_32

In that case, the produced stages are placed in the /home/mirror/funtoo/funtoo-current/x32-bit/core2_32/YYYY-MM-DD subdirectory.

Step 3: The Next Build

At this point, you now have a new Core_2 32bit stage3, built using a "remote" pentium4 stage3. Once the first remote build completes successfully, metro will automatically change .control/strategy/build to be local instead of remote, so it will use the most recently-built Core_2 32bit stage3 as a seed for any new Core_2 32bit builds from now on.

Build your own tailored stage3

Metro can be easily configured for building custom stage3 by including additional packages. Edit the following configuration file /root/metro/etc/builds/funtoo-current/build.conf:

funtoo-current/build.conf
[collect ../../fslayouts/funtoo/layout.conf]

[section release]

author: Daniel Robbins <drobbins@funtoo.org>

[section target]

compression: xz

[section portage]

FEATURES: 
SYNC: $[snapshot/source/remote]
USE:

[section profile]

format: new
path: gentoo:funtoo/1.0/linux-gnu
arch: $[:path]/arch/$[target/arch_desc]
build: $[:path]/build/current
flavor: $[:path]/flavor/core
mix-ins:

[section version]

python: 2.7

[section emerge]


[section snapshot]

type: live
compression: xz

[section snapshot/source]

type: git
branch: funtoo.org
# branch to have checked out for tarball:
branch/tar: origin/master
name: ports-2012 
remote: git://github.com/funtoo/ports-2012.git
options: pull

[section metro]

options: 
options/stage: cache/package
target: gentoo

[section baselayout]

services: sshd

[section multi]

snapshot: snapshot

[section files]

motd/trailer: [

 >>> Send suggestions, improvements, bug reports relating to...

 >>> This release:                  $[release/author]
 >>> Funtoo Linux (general):        Funtoo Linux (http://www.funtoo.org)
 >>> Gentoo Linux (general):        Gentoo Linux (http://www.gentoo.org)
]

[collect ../../multi-targets/$[multi/mode:zap]]