Difference between pages "Metro Quick Start Tutorial/pt-br" and "Install/pt-br/Configuring"

< Metro Quick Start Tutorial(Difference between pages)
(Configuring Metro)
 
(/etc/conf.d/hwclock)
 
Line 1: Line 1:
= Prefácio =  
+
=== Configurando seu sistema ===
 +
Como é esperado de uma distribuição Linux, Funtoo Linux tem seu compartilhamento de arquivos de configuração. O arquivo que absolutamente requer que você edite de forma a assegurar que o Funtoo Linux inicialize com sucesso é <code>/etc/fstab</code>. Os outros são opcionais.
  
== Como o Metro Funciona ==  
+
==== Utilizando o Nano ====
  
Você pode estar se perguntando como o [[Metro]] cria seu primeiro stage tarball. Como você pode ter imaginado, [[Metro]] não pode criar um stage tarball. Para construi um novo stage tarball, [[Metro]] deve utilizar um já existente, antigo stage tarball chamado de uma &quot;seed&quot; stage. Essa semente &quot;semente&quot; stage tipicamente é utilizado com o ''ambiente build'' para a criação do stage que queremos.
+
O editor padrão incluso no ambiente chroot é chamado de <code>nano</code>. Para editar um dos arquivos abaixo, chame o nano como a seguir:
 
+
[[Metro]] pode utilizar dois tipos de semente stages. Tradicionalmente, [[Metro]] tem utilizado um stage3 como uma semente stage. Esse stage3 é então utilizado para construir um novo stage1, que em troca é utlilizado para construir um novo stage2, e então um novo stage3. Esse é geralmente o jeito mais confiável de construir [[Gentoo Linux]] ou [[Funtoo Linux]], entao essa é a recomendação recomendada.
+
{{fancyimportant|'''Depois de portar o metro builds para o perfil do Funtoo, os stages do Gentoo não são mais fornecidos'''!}}
+
 
+
== Sementes e Build Isolation ==
+
 
+
Um outro conceito importante a mencionar aqui é algo chamando de ''build isolation''. Por que o [[Metro]] cria um ambiente build isolado, e o ambiente build é explicitamente definido utilizando entidades existentes, tangíveis -- uma semente stage e um portage snapshot -- você obterá resultados consistentes, repetíveis. Em outras palavras, a mesma semente stage, portage snapshot e instrções build gerarão resultados identico, mesmo se você desempenhar o um mês mais tarde em algum workstation de outro pessoa.
+
 
+
== Local Build ==
+
 
+
Digamos que você queira construir um novo tarball stage3 <tt>pentium4</tt>. O módo recomendado de se fazer isso seria apanhar um tarball stage3 <tt>pentium4</tt> existente como sua semente stage3 stage. Será dito ao [[Metro]] utilizar o stage3 <tt>pentium4</tt> existente para construir um novo stage1 para o mesmo <tt>pentium4</tt>. Para esse process, o stage3 para o <tt>pentium4</tt> genérico forneceria o ''ambiente build'' para a criação de nosso novo stage1. Então, o novo stage1 serviria como o ambiente build (build environment) para a criação do novo stage2 <tt>pentium4</tt>. E o novo stage2 para <tt>pentium4</tt> serviria como o ambiente build para a criação do novo stage3 para <tt>pentium4</tt>.
+
 
+
Na terminologia [[Metro]] isso é chamado de um '''local build''', que significa que um stage3 de uma dada arquitetura é utilizada para semear um build novo em folha da mesma arquitetura. Incidentalmente esse será o primeiro exercício que vamos realizar nesse tutorial.
+
 
+
Uma semana depois, você pode querer construir um tarball stage3 para <tt>pentium4</tt> novo em folha. Ao invés de iniciar a partir do stage3 para <tt>pentium4</tt> original de novo, você provavelmente configuraria o [[Metro]] para utilizar o built stage3 para <tt>pentium4</tt> mais recente construído como a semente. [[Metro]] possui funcionalidade built-in para tornar isso fácil, permitindo facilmente encontrar e rastrear a semente stage3 mais recente disponível.
+
 
+
== Build Remoto ==
+
 
+
[[Metro]] pode também desempenhar '''build remoto (remote build)''', onde um stage3 de uma arquitetura diferente, mas compatível binariamente, é utilizado como uma semente para construir um stage3 de arquitetura diferente. Consequencialidade, no segundo exercício que vamos realizar nesse tutorial será construir um tarball stage3 para <tt>core2 32bit</tt> a partir do tarball stage3 do <tt>pentium4</tt> que acabamos de construir.
+
 
+
TODO: adicione  ressalvas a respeito de quais arquiteturas podem ser semeadas e quais não podem (talvez um table?)
+
 
+
== Build Adaptado ==
+
 
+
Por ultimo, também é válido tanto <tt>local</tt> e <tt>builds remotos</tt>, [[Metro]] pode ser configurado para adicionar e/ou remover pacotes individuais ao ultimo tarball.
+
Digamos que você não consiga viver sem <tt>app-misc/screen</tt>, no final desse tutorial, mostraremos como obter o seu stage3 adaptado para incluí-lo.
+
 
+
== Instalar o Metro ==
+
 
+
'''O método recomendado e que possui suporte''' é utilizar o repositório Git do [[Metro]]. 
+
 
+
Asegure-se de que {{Package|dev-vcs/git}} e {{Package|dev-python/boto}} (opcional; exigido para suporte EC2) sejam estalados no seu sistema:
+
  
 
<console>
 
<console>
# ##i##emerge dev-vcs/git
+
(chroot) # ##i##nano /etc/fstab
# ##i##emerge dev-python/boto
+
 
</console>
 
</console>
  
Depois, clone o master git repository como a seguir:
+
Quando estiver no editor, você pode utilizar as teclas de cetas para mover o cursor, e teclas comuns como backspace e delete funcionarão como esperado. Para salvar o arquivo, pressione Control-X, e responda <code>y</code> quando solicitado para salvar o buffer modificado se você gostaria de salvar suas alterações.
  
<console>
+
==== Configuration Files ====
# ##i##cd /root
+
# ##i##git clone git://github.com/funtoo/metro.git
+
# ##i##cp /root/metro/metro.conf ~/.metro
+
</console>
+
  
Agora você terá o diretório chamado <tt>/root/metro</tt> que contem todo o código fonte do [[Metro]].
+
Aqui estão uma lista completa de arquivos que você pode queres editar, dependendo de suas necessidades:
 +
{{TableStart}}
 +
<tr class="active"><th>Arquivo</th>
 +
<th>Preciso alter-á-lo?</th>
 +
<th>Descrição</th>
 +
</tr><tr  class="danger">
 +
<td><code>/etc/fstab</code></td>
 +
<td>'''SIM - exigido'''</td>
 +
<td>Pontos de montagem para todos os filesystems a serem utilizados no momento do boot. Esse arquivo deve refletir sua configuação de partição de disco. Vamos lhe guiar através da modificação desse arquivo abaixo.</td>
 +
</tr><tr>
 +
<td><code>/etc/localtime</code></td>
 +
<td>''Talvez - recomendável''</td>
 +
<td>Seu fuso horário (timezone), que será padrão ao UTC se não definido. Esse deve ser um link simbólico para algo localizado sob /usr/share/zoneinfo (ex. /usr/share/zoneinfo/America/Montreal) </td>
 +
</tr><tr>
 +
<td><code>/etc/make.conf</code> (symlink) - also known as:<br/><code>/etc/portage/make.conf</code></td>
 +
<td>''Talvêz - recomendado''</td>
 +
<td>Parâmetros utilizado pelo gcc (compilador), pelo portage, e pelo make. É uma boa ideia definir o MAKEOPTS. Isso é coberto mais para frente nessa documentação.</td>
 +
</tr><tr>
 +
<td><code>/etc/conf.d/hostname</code></td>
 +
<td>''Talvez - recomendado''</td>
 +
<td>Utilizado para definir o hostname do sistema. Defina a variável <code>hostname</code> como nome fully-qualified (com pontos, ex. <code>foo.funtoo.org</code>) se você tiver um. Caso contrário, defina para o hostname do sistema local (sem pontos, ex. <code>foo</code>). Padrões para <code>localhost</code> se não definido.</td>
 +
</tr><tr>
 +
<td><code>/etc/hosts</code></td>
 +
<td>''Não''</td>
 +
<td> Você não precisa mais definir manual o hostname nesse arquivo. Esse arquivo é gerado manualmente pelo <code>/etc/init.d/hostname</code>.</td>
 +
</tr><tr>
 +
<td><code>/etc/conf.d/keymaps</code></td>
 +
<td>Opcional</td>
 +
<td>Arquivo de configuração de mapeamento do teclado (fara console pseudo terminais). Configure se você não possui um teclado no padrão americano (non-US). Veja [[Funtoo Linux Localization]].</td>
 +
</tr><tr>
 +
<td><code>/etc/conf.d/hwclock</code></td>
 +
<td>Opcional</td>
 +
<td>Como o tempo de clock do hardware mantido pela bateria (battery-backed) do sistema é interpretado [UTC ou hora local (local time)]. Linux utiliza o clock do hardware mantido pela bateria para inicializar a hora do sistema quando o sistema é inicializado.</td>
 +
</tr><tr>
 +
<td><code>/etc/conf.d/modules</code></td>
 +
<td>Opcional</td>
 +
<td>Módulos do Kernel para carregar automaticamente na inicialização do sistema. Tipicamente não exigido. Veja [[Additional Kernel Resources]] para mais informações.</td>
 +
</tr><tr>
 +
<td><code>/etc/conf.d/consolefont</code></td>
 +
<td>Opcional</td>
 +
<td>Lhe permite especificar a font padrão do console. Para aplicar essa font, habilite o serviço consolefont ao executar rc-update add consolefont.</td>
 +
</tr><tr>
 +
<td><code>profiles</code></td>
 +
<td>Opcional</td>
 +
<td>Algumas configurações úteis para o portage que podem ajudar a acelerar a configuração inicial.</td>
 +
</tr>
 +
{{TableEnd}}
  
O Metro agora está instalado. É hora de personalizá-lo para o seu sistema local.
+
Se você estiver instalando uma versão em Inglês do Funtoo Linux, você está com sorte desde que muitos dos arquivos de configuração pode ser utilizadas como é. Se estiver instalando para outra localidade, não se preocupe. Vamos lhe orientar através dos passos para a configuração necessária na página [[Funtoo Linux Localization]], e se necessário, sempre há muito suporte amigável e útil. (Veja [[#Community portal|Community]])
  
= Configuring Metro =
+
Vamos seguir em frente e ver o que temos que fazer. Utilize <code>nano -w <name_of_file></code> para editar os arquivos -- o "<code>-w</code>" desabilita empacotamento de palavras (word-wrapping), que útil quando editar arquivos de configurações. Você pode copiar e colar a partir dos exemplos.
  
{{Note|Metro não é atualmente capaz de construir stages do Gentoo. Veja {{Bug|FL-901}}.}}
+
{{fancywarning|É importante editar seu arquivo <code>/etc/fstab</code> antes de você reinicializar! Você precisará modificar ambas as colunas  "fs" e "type" para equiparar as configurações para as suas partições e filesystems que você criou com o <code>gdisk</code> ou <code>fdisk</code>. Pulando esses podem impedir que o Funtoo Linux de inicializar com sucesso.}}
  
[[User:Drobbins|Daniel Robbins]] mantem o  [[Metro]], então ele vem pré-configurado para construir com sucesso os lançamentos do [[Funtoo Linux]]. Antes de ler mais adiante, você pode querer personalizar algumas configurações básicas como o o número de de jobs simultâneos para se encaixar as compatibilidades do seu hardware ou o diretório para utilizar arquivos stage produzidos. Isso é excelente ao editar <tt>~/.metro</tt> a qual é o arquivo de configuração [[Metro]]'s master.
+
==== /etc/fstab ====
  
Por favor, note que o <code>path/install</code> deve apontar para aonde o metro foi instalado. Aponte <code>path/distfiles</code> para aonde seus distfiles residem. Defina também  <code>path/mirror/owner</code> e <code>path/mirror/group</code> para o proprietário e grupo de todos os arquivos que serão escritos para construir o diretório do repositório, which by default (as per the configuration file) is at <code>/home/mirror/funtoo</code>. The cache directory normally resides inside the temp directory -- this can be modified as desired. The cache directory can end up holding many cached .tbz2 packages, and eat up a lot of storage. You may want to place the temp directory on faster storage, for faster compile times, and place the cache directory on slower, but more plentiful storage.
+
<code>/etc/fstab</code> é utilizado pelo comando <code>mount</code> que é executado quando seu sistema inicializa. Afirmações desse arquivo informam <code>mount</code> a respeito das partições a serem montadas e como elas são montadas. No intuito que o sistema inicialize devidamente, você deve editar <code>/etc/fstab</code> e assegurar de que isso reflita a configuração de partições que você utilizou anteriormente:
  
{{file|name=.metro|desc=Metro configuration|body=
 
# Main metro configuration file - these settings need to be tailored to your install:
 
 
[section path]
 
install: /root/metro
 
tmp: /var/tmp/metro
 
cache: $[path/tmp]/cache
 
distfiles: /var/src/distfiles
 
work: $[path/tmp]/work/$[target/build]/$[target/name]
 
 
[section path/mirror]
 
 
: /home/mirror/funtoo
 
owner: root
 
group: repomgr
 
dirmode: 775
 
 
[section portage]
 
 
MAKEOPTS: auto
 
 
[section emerge]
 
 
options: --jobs=4 --load-average=4 --keep-going=n
 
 
# This line should not be modified:
 
[collect $[path/install]/etc/master.conf]
 
}}
 
 
== Arch and Subarch ==
 
 
In the following example we are creating a pentium4 stage 3 compiled for x86-32bit binary compatibility. Pentium4 is a subarch of the x86-32bit architecture. Once you have metro installed you may find a full list of each subarch in your <tt>/root/metro/subarch</tt> directory each subarch will have the file extension .spec
 
Example:
 
 
<console>
 
<console>
###i## ls /root/metro/subarch
+
(chroot) # ##i##nano -w /etc/fstab
# ls subarch/
+
amd64-bulldozer-pure64.spec  armv7a.spec          core-avx-i.spec        i686.spec        pentium.spec
+
amd64-bulldozer.spec        armv7a_hardfp.spec  core2_32.spec          k6-2.spec        pentium2.spec
+
amd64-k10-pure64.spec        athlon-4.spec        core2_64-pure64.spec    k6-3.spec        pentium3.spec
+
amd64-k10.spec              athlon-mp.spec      core2_64.spec          k6.spec          pentium4.spec
+
amd64-k8+sse3.spec          athlon-tbird.spec    corei7-pure64.spec      native_32.spec    pentiumpro.spec
+
amd64-k8+sse3_32.spec        athlon-xp.spec      corei7.spec            native_64.spec    prescott.spec
+
amd64-k8-pure64.spec        athlon.spec          generic_32.spec        niagara.spec      ultrasparc.spec
+
amd64-k8.spec                atom_32.spec        generic_64-pure64.spec  niagara2.spec    ultrasparc3.spec
+
amd64-k8_32.spec            atom_64-pure64.spec  generic_64.spec        nocona.spec      xen-pentium4+sse3.spec
+
armv5te.spec                atom_64.spec        generic_sparcv9.spec    opteron_64.spec  xen-pentium4+sse3_64.spec
+
armv6j.spec                  btver1.spec          geode.spec              pentium-m.spec
+
armv6j_hardfp.spec          btver1_64.spec      i486.spec              pentium-mmx.spec
+
 
</console>
 
</console>
  
= First stages build (local build) =
+
<pre>
 +
# The root filesystem should have a pass number of either 0 or 1.
 +
# All other filesystems should have a pass number of 0 or greater than 1.
 +
#
 +
# NOTE: If your BOOT partition is ReiserFS, add the notail option to opts.
 +
#
 +
# See the manpage fstab(5) for more information.
 +
#
 +
# <fs>     <mountpoint>  <type>  <opts>        <dump/pass>
  
To get this all started, we need to bootstrap the process by downloading an initial seed stage3 to use for building and place it in its proper location in <tt>/home/mirror/funtoo</tt>, so that [[Metro]] can find it. We will also need to create some special &quot;control&quot; files in <tt>/home/mirror/funtoo</tt>, which will allow [[Metro]] to understand how it is supposed to proceed.
+
/dev/sda1    /boot        ext2    noauto,noatime 1 2
 +
/dev/sda2    none          swap    sw            0 0
 +
/dev/sda3    /             ext4    noatime        0 1
 +
#/dev/cdrom  /mnt/cdrom    auto    noauto,ro      0 0
 +
</pre>
  
== Step 1: Set up pentium4 repository (local build) ==
+
{{Note|Atualmente, noso <code>/etc/fstab</code> padrão tem o filesystem root como <code>/dev/sda4</code> e a partição swap como <code>/dev/sda3</code>. Esses precisarão ser alterados para <code>/dev/sda3</code> e <code>/dev/sda2</code>, respectivamente.}}
  
Assuming we're following the basic steps outlined in the previous section, and building an unstable funtoo (<tt>funtoo-current</tt>) build for the <tt>pentium4</tt>, using a generic <tt>pentium4</tt> stage3 as a seed stage, then here the first set of steps we'd perform:
+
{{Note|Se você estiver utilizando UEFI para inicializar (boot), altere a linha <code>/dev/sda1</code> então ela diz <code>vfat</code> ao invés de <code>ext2</code>. Similarmente, certifique-se de que a linha <code>/dev/sda3</code> especifica ou <code>xfs</code> ou <code>ext4</code>, dependendo de qual filesystem você escolher em filesystem-creation time.}}
  
<console>
+
==== /etc/localtime ====
# ##i##install -d /home/mirror/funtoo/funtoo-current/x86-32bit/pentium4
+
# ##i##install -d /home/mirror/funtoo/funtoo-current/snapshots
+
# ##i##cd /home/metro/mirror/funtoo/funtoo-current/x86-32bit/pentium4
+
# ##i##install -d 2011-12-13
+
# ##i##cd 2011-12-13
+
# ##i##wget -c http://ftp.osuosl.org/pub/funtoo/funtoo-current/x86-32bit/pentium4/2011-12-13/stage3-pentium4-funtoo-current-2011-12-13.tar.xz
+
# ##i##cd ..
+
# ##i##install -d .control/version
+
# ##i##echo "2011-12-13" > .control/version/stage3
+
# ##i##install -d .control/strategy
+
# ##i##echo local >  .control/strategy/build
+
# ##i##echo stage3 > .control/strategy/seed
+
</console>
+
  
OK, let's review the steps above. First, we create the directory <tt>/home/mirror/funtoo/funtoo-current/x86-32bit/pentium4</tt>, which is where Metro will expect to find unstable <tt>funtoo-current</tt> pentium4 builds -- it is configured to look here by default. Then we create a specially-named directory to house our seed x86 stage3. Again, by default, Metro expects the directory to be named this way. We enter this directory, and download our seed x86 stage3 from funtoo.org. Note that the <tt>2010-12-24</tt> version stamp matches. Make sure that your directory name matches the stage3 name too. Everything has been set up to match Metro's default filesystem layout.
+
<code>/etc/localtime</code> é utilizado para especificar o fuso horário (timezone) em que sua sua máquina está, e os padrões para o UTC. Se você quiser que seu sistema Funtoo Linux utilize fuso horário, você deve substituir <code>/etc/localtime</code> por um link simbólico para o fuso horário que você deseja utilizar.  
 
+
Next, we go back to the <tt>/home/mirror/metro/funtoo-current/x86-32bit/pentium4</tt> directory, and inside it, we create a <tt>.control</tt> directory. This directory and its subdirectories contain special files that Metro references to determine certain aspects of its behavior. The <tt>.control/version/stage3</tt> file is used by Metro to track the most recently-built stage3 for this particular build and subarch. Metro will automatically update this file with a new version stamp after it successfully builds a new stage3. But because Metro didn't actually ''build'' this stage3, we need to set up the <tt>.control/version/stage3</tt> file manually. This will allow Metro to find our downloaded stage3 when we set up our pentium4 build to use it as a seed. Also note that Metro will create a similar <tt>.control/version/stage1</tt> file after it successfully builds an pentium4 funtoo-current stage1.
+
 
+
We also set up <tt>.control/strategy/build</tt> and <tt>.control/strategy/seed</tt> files with values of <tt>local</tt> and <tt>stage3</tt> respectively. These files define the building strategy Metro will use when we build pentium4 funtoo-current stages. With a build strategy of <tt>local</tt>, Metro will source its seed stage from funtoo-current pentium4, the current directory. And with a seed strategy of <tt>stage3</tt>, Metro will use a stage3 as a seed, and use this seed to build a new stage1, stage2 and stage3.
+
 
+
== Step 2: Building the pentium4 stages ==
+
 
+
Incidentally, if all you wanted to do at this point was to build a new pentium4 funtoo-current stage1/2/3 (plus openvz and vserver templates). You would begin the process by typing:
+
  
 
<console>
 
<console>
# ##i##cd /root/metro
+
(chroot) # ##i##ln -sf /usr/share/zoneinfo/MST7MDT /etc/localtime
# ##i##scripts/ezbuild.sh funtoo-current pentium4
+
 
</console>
 
</console>
  
If you have a slow machine, it could take several hours to be completed because several "heavy" components like gcc or glibc have to be recompiled in each stage. Once a stage has been successfully completed, it is placed in the <tt>"${METRO_MIRROR}/funtoo-current/x32-bit/pentium4/YYYY-MM-DD"</tt> subdirectory, where <tt>YYYY-MM-DD</tt> is today's date at the time the <tt>ezbuild.sh</tt> script was started or the date you put on the ezscript.sh command line.
+
O comando acima define o fuso horário para montar o horário padrão (com horário de verão). Digite <code>ls /usr/share/zoneinfo</code> para verificar quais fuso horários estão disponíveis. Há também subdiretórios contendo fuso horários descritos por local.
  
= Building for another binary compatible architecture (remote build) =
+
==== /etc/make.conf ====
  
As written above, [[Metro]] is able to perform '''remote build''' building different architecture stage3 from a binary compatible seeding stage3 (e.g. using a pentium4 stage3 to seed a <tt>Intel Core2 32bits</tt> stage3).
+
MAKEOPTS pode ser utilizado para definir quantas compilações paralelas devem ocorrer quando você compilar um pacote, que pode acelerar compilação significativamente. uma regra de thumb é o número de CPUs (ou CPU threads) em seu sistema mais um (plus one). Se por exemplo você possui um processador dual core sem [[wikipedia:Hyper-threading|hyper-threading]], então você definiria MAKEOPTS para 3:
  
In the Metro terminology this is called a '''remote build''' (a stage 3 of a different, but binary compatible, architecture is used as a seed).
+
<pre>
What's not compatible? You can't use a <tt>Sparc</tt> architecture to generate an <tt>x86</tt> or <tt>ARM</tt> based stage and vice-versa. If you use a 32bit stage then you don't want to seed a 64bit build from it. Be sure that you are using a stage from the same architecture that you are trying to seed. Check [http://ftp.osuosl.org/pub/funtoo/funtoo-current/ Funtoo-current FTP Mirror] for a stage that is from the same Architecture that you will be building. 
+
MAKEOPTS="-j3"
 
+
</pre>
{{Note|Often, one build (ie. funtoo-current) can be used as a seed for another build such as funtoo-stable. However, hardened builds require hardened stages as seeds in order for the build to complete successfully.}}
+
 
+
== Step 1: Set up Core_2 32bit repository ==
+
 
+
In this example, we're going to use this pentium4 funtoo-current stage3 to seed a new Core_2 32bit funtoo-current build. To get that done, we need to set up the pentium4 build directory as follows:
+
  
 +
Se você não estiver certo sobre quantos processadores/threads você possui, então utilize nproc para ajudá-lo.
 
<console>
 
<console>
# ##i## cd /home/mirror/funtoo/funtoo-current/x86-32bit
+
(chroot) # ##i##nproc
# ##i##install -d core2_32
+
16
# ##i##cd core2_32
+
# ##i##install -d .control/strategy
+
# ##i##echo remote > .control/strategy/build
+
# ##i##echo stage3 > .control/strategy/seed
+
# ##i##install -d .control/remote
+
# ##i##echo funtoo-current > .control/remote/build
+
# ##i##echo x86-32bit > .control/remote/arch_desc
+
# ##i##echo pentium4 > .control/remote/subarch
+
 
</console>
 
</console>
  
The steps we follow are similar to those we performed for a ''local build'' to set up our pentium4 directory for local build. However, note the differences. We didn't download a stage, because we are going to use the pentium4 stage to build a new Core_2 32bit stage. We also didn't create the <tt>.control/version/stage{1,3}</tt> files because Metro will create them for us after it successfully builds a new stage1 and stage3. We are still using a <tt>stage3</tt> seed strategy, but we've set the build strategy to <tt>remote</tt>, which means that we're going to use a seed stage that's not from this particular subdirectory. Where are we going to get it from? The <tt>.control/remote</tt> directory contains this information, and lets Metro know that it should look for its seed stage3 in the <tt>/home/mirror/funtoo/funtoo-current/x86-32bit/pentium4</tt> directory. Which one will it grab? You guessed it -- the most recently built ''stage3'' (since our seed strategy was set to <tt>stage3</tt>) that has the version stamp of <tt>2010-12-24</tt>, as recorded in <tt>/home/mirror/funtoo-current/x86-32bit/pentium4/.control/version/stage</tt>. Now you can see how all those control files come together to direct Metro to do the right thing.
+
Defina MAKEOPTS para esse número mais um:
  
{{Note|<code>arch_desc</code> should be set to one of: <code>x86-32bit</code>, <code>x86-64bit</code> or <code>pure64</code> for PC-compatible systems. You must use a 32-bit build as a seed for other 32-bit builds, and a 64-bit build as a seed for other 64-bit builds.}}
+
<pre>
 +
MAKEOPTS="-j17"
 +
</pre>
  
== Step 2: Building the Core_2 32bit stages ==
+
Flgas USE definem qual funcionalidade está habilitada quando pacotes são construídos. Não é recomendado adicionar um monte dele durante a instalação; Você deve esperar até que obtenha um, sistema inicializável, funcional antes de alterar suas flags USE. Uma flag USE prefixada com um sinal de menos ("<code>-</code>") diz ao Portage para não utilizar a flag quando compilar. Um guia do Funtoo para as flags USE estarão disponíveis no futuro. Por hora, você pode descobrir mais informações sobre as flags USE no [http://www.gentoo.org/doc/en/handbook/handbook-amd64.xml?part=2&chap=2 Gentoo Handbook].
  
Now, you could start building your new Core_2 32bit stage1/2/3 (plus openvz and vserver templates) by typing the following:
+
LINGUAS diz ao Portage em qual idioma local compilar o sistema e as aplicações (aqueles que utilizam variável LINGUAS como o OpenOffice). Geralmente não é necessário definir essa se você utiliza em inglês. Se você quiser um outro idioma tal qual francês (fr) ou Alemão (de), defina LINGUAS apropriadamente:
  
 +
<pre>
 +
LINGUAS="fr"
 +
</pre>
 +
 +
==== /etc/conf.d/hwclock ====
 +
Se você realizar dual-boot com Windows, você precisará editar esse arquivo e alterar o valor de '''clock''' de '''UTC''' para '''local''', por que o Windows definirá seu hardware clock para a hora local toda vêz que inicializar (boot) o Windows. Caso contrário você normalmente não precisaria editar esse arquivo.
 
<console>
 
<console>
# ##i##/root/metro/scripts/ezbuild.sh funtoo-current core2_32
+
(chroot) # ##i##nano -w /etc/conf.d/hwclock
 
</console>
 
</console>
  
In that case, the produced stages are placed in the <tt>/home/mirror/funtoo/funtoo-current/x32-bit/core2_32/YYYY-MM-DD</tt> subdirectory.
+
==== Localization ====
 
+
== Step 3: The Next Build ==
+
 
+
At this point, you now have a new Core_2 32bit stage3, built using a "remote" pentium4 stage3. Once the first remote build completes successfully, metro will automatically change <code>.control/strategy/build</code> to be <code>local</code> instead of <code>remote</code>, so it will use the most recently-built Core_2 32bit stage3 as a seed for any new Core_2 32bit builds from now on.
+
 
+
= Build your own tailored stage3 =
+
 
+
Metro can be easily configured for building custom stage3 by including additional packages. Edit the following configuration file <tt>/root/metro/etc/builds/funtoo-current/build.conf</tt>:
+
{{file|name=funtoo-current/build.conf|body=
+
[collect ../../fslayouts/funtoo/layout.conf]
+
 
+
[section release]
+
 
+
author: Daniel Robbins <drobbins@funtoo.org>
+
 
+
[section target]
+
 
+
compression: xz
+
 
+
[section portage]
+
 
+
FEATURES:
+
SYNC: $[snapshot/source/remote]
+
USE:
+
 
+
[section profile]
+
 
+
format: new
+
path: gentoo:funtoo/1.0/linux-gnu
+
arch: $[:path]/arch/$[target/arch_desc]
+
build: $[:path]/build/current
+
flavor: $[:path]/flavor/core
+
mix-ins:
+
 
+
[section version]
+
 
+
python: 2.7
+
 
+
[section emerge]
+
 
+
 
+
[section snapshot]
+
 
+
type: live
+
compression: xz
+
 
+
[section snapshot/source]
+
 
+
type: git
+
branch: funtoo.org
+
# branch to have checked out for tarball:
+
branch/tar: origin/master
+
name: ports-2012
+
remote: git://github.com/funtoo/ports-2012.git
+
options: pull
+
 
+
[section metro]
+
 
+
options:
+
options/stage: cache/package
+
target: gentoo
+
 
+
[section baselayout]
+
 
+
services: sshd
+
 
+
[section multi]
+
 
+
snapshot: snapshot
+
 
+
[section files]
+
 
+
motd/trailer: [
+
 
+
>>> Send suggestions, improvements, bug reports relating to...
+
 
+
>>> This release:                  $[release/author]
+
>>> Funtoo Linux (general):        Funtoo Linux (http://www.funtoo.org)
+
>>> Gentoo Linux (general):        Gentoo Linux (http://www.gentoo.org)
+
]
+
  
[collect ../../multi-targets/$[multi/mode:zap]]
+
By default, Funtoo Linux is configured with Unicode (UTF-8) enabled, and for the US English locale and keyboard. If you would like to configure your system to use a non-English locale or keyboard, see [[Funtoo Linux Localization]].
}}
+

Revision as of 23:01, February 2, 2015

Configurando seu sistema

Como é esperado de uma distribuição Linux, Funtoo Linux tem seu compartilhamento de arquivos de configuração. O arquivo que absolutamente requer que você edite de forma a assegurar que o Funtoo Linux inicialize com sucesso é /etc/fstab. Os outros são opcionais.

Utilizando o Nano

O editor padrão incluso no ambiente chroot é chamado de nano. Para editar um dos arquivos abaixo, chame o nano como a seguir:

(chroot) # nano /etc/fstab

Quando estiver no editor, você pode utilizar as teclas de cetas para mover o cursor, e teclas comuns como backspace e delete funcionarão como esperado. Para salvar o arquivo, pressione Control-X, e responda y quando solicitado para salvar o buffer modificado se você gostaria de salvar suas alterações.

Configuration Files

Aqui estão uma lista completa de arquivos que você pode queres editar, dependendo de suas necessidades:

Arquivo Preciso alter-á-lo? Descrição
/etc/fstab SIM - exigido Pontos de montagem para todos os filesystems a serem utilizados no momento do boot. Esse arquivo deve refletir sua configuação de partição de disco. Vamos lhe guiar através da modificação desse arquivo abaixo.
/etc/localtime Talvez - recomendável Seu fuso horário (timezone), que será padrão ao UTC se não definido. Esse deve ser um link simbólico para algo localizado sob /usr/share/zoneinfo (ex. /usr/share/zoneinfo/America/Montreal)
/etc/make.conf (symlink) - also known as:
/etc/portage/make.conf
Talvêz - recomendado Parâmetros utilizado pelo gcc (compilador), pelo portage, e pelo make. É uma boa ideia definir o MAKEOPTS. Isso é coberto mais para frente nessa documentação.
/etc/conf.d/hostname Talvez - recomendado Utilizado para definir o hostname do sistema. Defina a variável hostname como nome fully-qualified (com pontos, ex. foo.funtoo.org) se você tiver um. Caso contrário, defina para o hostname do sistema local (sem pontos, ex. foo). Padrões para localhost se não definido.
/etc/hosts Não Você não precisa mais definir manual o hostname nesse arquivo. Esse arquivo é gerado manualmente pelo /etc/init.d/hostname.
/etc/conf.d/keymaps Opcional Arquivo de configuração de mapeamento do teclado (fara console pseudo terminais). Configure se você não possui um teclado no padrão americano (non-US). Veja Funtoo Linux Localization.
/etc/conf.d/hwclock Opcional Como o tempo de clock do hardware mantido pela bateria (battery-backed) do sistema é interpretado [UTC ou hora local (local time)]. Linux utiliza o clock do hardware mantido pela bateria para inicializar a hora do sistema quando o sistema é inicializado.
/etc/conf.d/modules Opcional Módulos do Kernel para carregar automaticamente na inicialização do sistema. Tipicamente não exigido. Veja Additional Kernel Resources para mais informações.
/etc/conf.d/consolefont Opcional Lhe permite especificar a font padrão do console. Para aplicar essa font, habilite o serviço consolefont ao executar rc-update add consolefont.
profiles Opcional Algumas configurações úteis para o portage que podem ajudar a acelerar a configuração inicial.

Se você estiver instalando uma versão em Inglês do Funtoo Linux, você está com sorte desde que muitos dos arquivos de configuração pode ser utilizadas como é. Se estiver instalando para outra localidade, não se preocupe. Vamos lhe orientar através dos passos para a configuração necessária na página Funtoo Linux Localization, e se necessário, sempre há muito suporte amigável e útil. (Veja Community)

Vamos seguir em frente e ver o que temos que fazer. Utilize nano -w <name_of_file> para editar os arquivos -- o "-w" desabilita empacotamento de palavras (word-wrapping), que útil quando editar arquivos de configurações. Você pode copiar e colar a partir dos exemplos.

Warning

É importante editar seu arquivo /etc/fstab antes de você reinicializar! Você precisará modificar ambas as colunas "fs" e "type" para equiparar as configurações para as suas partições e filesystems que você criou com o gdisk ou fdisk. Pulando esses podem impedir que o Funtoo Linux de inicializar com sucesso.

/etc/fstab

/etc/fstab é utilizado pelo comando mount que é executado quando seu sistema inicializa. Afirmações desse arquivo informam mount a respeito das partições a serem montadas e como elas são montadas. No intuito que o sistema inicialize devidamente, você deve editar /etc/fstab e assegurar de que isso reflita a configuração de partições que você utilizou anteriormente:

(chroot) # nano -w /etc/fstab
# The root filesystem should have a pass number of either 0 or 1.
# All other filesystems should have a pass number of 0 or greater than 1.
#
# NOTE: If your BOOT partition is ReiserFS, add the notail option to opts.
#
# See the manpage fstab(5) for more information.
#
# <fs>	     <mountpoint>  <type>  <opts>         <dump/pass>

/dev/sda1    /boot         ext2    noauto,noatime 1 2
/dev/sda2    none          swap    sw             0 0
/dev/sda3    /             ext4    noatime        0 1
#/dev/cdrom  /mnt/cdrom    auto    noauto,ro      0 0
Note

Atualmente, noso /etc/fstab padrão tem o filesystem root como /dev/sda4 e a partição swap como /dev/sda3. Esses precisarão ser alterados para /dev/sda3 e /dev/sda2, respectivamente.

Note

Se você estiver utilizando UEFI para inicializar (boot), altere a linha /dev/sda1 então ela diz vfat ao invés de ext2. Similarmente, certifique-se de que a linha /dev/sda3 especifica ou xfs ou ext4, dependendo de qual filesystem você escolher em filesystem-creation time.

/etc/localtime

/etc/localtime é utilizado para especificar o fuso horário (timezone) em que sua sua máquina está, e os padrões para o UTC. Se você quiser que seu sistema Funtoo Linux utilize fuso horário, você deve substituir /etc/localtime por um link simbólico para o fuso horário que você deseja utilizar.

(chroot) # ln -sf /usr/share/zoneinfo/MST7MDT /etc/localtime

O comando acima define o fuso horário para montar o horário padrão (com horário de verão). Digite ls /usr/share/zoneinfo para verificar quais fuso horários estão disponíveis. Há também subdiretórios contendo fuso horários descritos por local.

/etc/make.conf

MAKEOPTS pode ser utilizado para definir quantas compilações paralelas devem ocorrer quando você compilar um pacote, que pode acelerar compilação significativamente. uma regra de thumb é o número de CPUs (ou CPU threads) em seu sistema mais um (plus one). Se por exemplo você possui um processador dual core sem hyper-threading, então você definiria MAKEOPTS para 3:

MAKEOPTS="-j3" 

Se você não estiver certo sobre quantos processadores/threads você possui, então utilize nproc para ajudá-lo.

(chroot) # nproc
16

Defina MAKEOPTS para esse número mais um:

MAKEOPTS="-j17"

Flgas USE definem qual funcionalidade está habilitada quando pacotes são construídos. Não é recomendado adicionar um monte dele durante a instalação; Você deve esperar até que obtenha um, sistema inicializável, funcional antes de alterar suas flags USE. Uma flag USE prefixada com um sinal de menos ("-") diz ao Portage para não utilizar a flag quando compilar. Um guia do Funtoo para as flags USE estarão disponíveis no futuro. Por hora, você pode descobrir mais informações sobre as flags USE no Gentoo Handbook.

LINGUAS diz ao Portage em qual idioma local compilar o sistema e as aplicações (aqueles que utilizam variável LINGUAS como o OpenOffice). Geralmente não é necessário definir essa se você utiliza em inglês. Se você quiser um outro idioma tal qual francês (fr) ou Alemão (de), defina LINGUAS apropriadamente:

LINGUAS="fr"

/etc/conf.d/hwclock

Se você realizar dual-boot com Windows, você precisará editar esse arquivo e alterar o valor de clock de UTC para local, por que o Windows definirá seu hardware clock para a hora local toda vêz que inicializar (boot) o Windows. Caso contrário você normalmente não precisaria editar esse arquivo.

(chroot) # nano -w /etc/conf.d/hwclock

Localization

By default, Funtoo Linux is configured with Unicode (UTF-8) enabled, and for the US English locale and keyboard. If you would like to configure your system to use a non-English locale or keyboard, see Funtoo Linux Localization.