Make.conf

From Funtoo
Jump to: navigation, search
This page is a translated version of the page Make.conf and the translation is 100% complete.

Other languages:
English • ‎español • ‎português do Brasil

O que é o arquivo make.conf?

Make.conf é o principal arquivo de configuração do portage e do Funtoo. Ele contém muitas variáveis que definem como um pacote será instalado em um sistema Funtoo. É possível customizar variáveis internas do portage, tais como local da árvore do portage, local do tarball de origem, overlays, para citar apenas alguns. Você pode personalizar especificações de hardware, como TMPFS, limites de disco, flags de compilação do GCC para obter melhor desempenho, etc. Grande parte dessa personalização é feita através do arquivo make.conf. Esta página tentará explicar os usos do arquivo make.conf, diferentes variáveis que podem ser adicionadas a ele e seus usos.

Onde o make.conf está localizado?

make.conf é localizado em /etc e é um link simbólico para /etc/portage/make.conf, então esses nomes podem ser usados intercambiadamente.

Nenhuma ferramenta especial é necessária para editar o /etc/portage/make.conf, além do seu editor de texto favorito, é claro:

root # nano /etc/portage/make.conf

Variáveis

O portage é muito personalizável. Por causa disso, muitas variáveis estão disponíveis para configurar o /etc/portage/make.conf. Abaixo está um exemplo de arquivo make.conf mostrando algumas das variáveis que podem ser usadas para personalizar o portage. O formato de uma linha desse arquivo geralmente é NOMEDAVARIAVEL = "argumentos da variável" .

   /etc/portage/make.conf - exemplos de variáveis do make.conf
CFLAGS="-march=amdfam10 -O2 -pipe"
CXXFLAGS="-march=amdfam10 -O2 -pipe"
INPUT_DEVICES="evdev"
VIDEO_CARDS="vesa nouveau"
MAKEOPTS="-j2"
USE="mmx sse"
ACCEPT_LICENSE="*"
   Note

O Portage possui verificação interna para os núcleos da CPU e ativa MAKEOPTS automaticamente, se não estiver definido. No make.conf, você pode aumentar ou diminuir o valor, quando necessário, caso contrário, é definido como -j (número de núcleos da cpu)

Abaixo está uma lista de variáveis que podem ser usadas em make.conf, juntamente com uma descrição do que elas fazem. Para obter mais informações sobre essas e outras variáveis, leia man make.conf.

Aceita todas as licenças

   /etc/portage/make.conf - Aceita todas as licenças
ACCEPT_LICENSE="*"

Mudar o diretório de compilação do código fonte

Por padrão, o portage descompacta e compila os fontes em /var/tmp/ e anexa portage/pkg-cat/pkg para compilar um pacote em outro lugar. Por exemplo, se o portage compilar um pacote em /tmp, ele será construído em: /tmp/portage/pkg-cat/pkg. Se você tiver o Funtoo instalado em um SSD, pode ser uma decisão sábia montar /tmp na RAM ou em um HDD para minimizar o número de gravações no SSD e prolongar sua vida útil. Depois que o /tmp foi montado fora do seu SSD, você pode dizer ao portage para compilar pacotes futuros no /tmp, em vez de no /var/tmp. Para fazer isso, adicione a seguinte linha ao seu /etc/portage/make.conf:

   /etc/portage/make.conf
PORTAGE_TMPDIR="/tmp"

Chips_Gráficos =

A variável VIDEO_CARDS diz ao portage quais drivers de vídeo você quer usar em seu sistema. Para ver as diferentes opções que existem para essa variável, veja Video.

Mouse para notebooks

Veja x11-drivers/xf86-input-synaptics para mouses e touchpads de notebooks.

MAKEOPTS

MAKEOPTS pode ser usada para definir quantas compilações paralelas devem ocorrer quando você compila um pacote, o que pode acelerar a compilação significativamente. Por padrão, essa variável é configurada para o número de núcleos (ou threads de CPU) em seu sistema mais um. Se, por exemplo, você tiver um processador dual core sem hyper-threading, MAKEOPTS seria definida como 3, o que poderia ser feito manualmente da seguinte maneira:

   /etc/portage/make.conf - set portage to use 3 threads
MAKEOPTS="-j3"

Se você está inseguro sobre quantos núcleos/threads você tem, use /proc/cpuinfo para lhe ajudar.

(chroot) # grep "processor" /proc/cpuinfo

USE flags

USE flags definem qual funcionalidade é habilitada quando pacotes são compilados. Não é recomendado adicionar muitas delas durante a instalação; você deve alavancar o uso dos Funtoo Profiles em vez disso, tanto quanto possível e definir apenas conforme necessário. Uma USE flag prefixada com um sinal de menos ("-") diz ao Portage para não usar a flag ao compilar. Através das USE flags, geramos binários (stripped) mais seguros, com superfície de ataque reduzida e melhor desempenho. Um guia do Funtoo para USE flags estará disponível no futuro. Por enquanto, você pode encontrar mais informações em Gentoo Handbook.

Entradas

Alguns dispositivos precisam ser definidos como x11-drivers/xf86-input-synaptics para suporte à touchpads.

   /etc/portage/make.conf - synaptics example
INPUT_DEVICES="synaptics evdev"

Localização

Opções disponíveis podem ser encontradas em Funtoo Linux Localização.