Btrfs/pt-br

From Funtoo
Jump to: navigation, search
This page is a translated version of the page Btrfs and the translation is 100% complete.

Other languages:
English • ‎português do Brasil • ‎Türkçe

O BTRFS é um sistema de arquivos baseado no princípio de cópia na gravação (COW), inicialmente projetado na Oracle Corporation para uso no Linux. O desenvolvimento do Btrfs começou em 2007 e, desde agosto de 2014, o formato em disco do sistema de arquivos foi marcado como estável.

Em 2015, o Btrfs foi adotado como o sistema de arquivos padrão para o SUSE Linux Enterprise Server 12. O SUSE reafirmou seu compromisso com o Btrfs em 2017, depois que a RedHat anunciou que deixaria de oferecer suporte ao Btrfs.

O Btrfs destina-se a solucionar a falta de pool, instantâneos, somas de verificação e abrangência de vários dispositivos integral nos sistemas de arquivos Linux.

É fácil de configurar e usar o BTRFS. Nesta introdução simples, vamos configurar o BTRFS no Funtoo Linux usando um kernel debian-sources ou debian-sources-lts existente, como o que vem pré-compilado para você com o Funtoo Linux, e também usaremos nosso pool de armazenamento BTRFS para armazenar dados que não fazem parte da instalação do Funtoo Linux. O Funtoo Linux inicializa a partir de um sistema de arquivos não-BTRFS e, como parte do processo de inicialização, inicializa nosso armazenamento BTRFS e o monta no local de nossa escolha.

Instalação

Para instalar o BTRFS, nenhuma etapa adicional é necessária, pois ele faz parte do Linux Kernel (desde 2.6.29). Vamos emergir as ferramentas de espaço de usuário do BTRFS ( btrfs-progs):

root # emerge btrfs-progs

Agora o BTRFS está pronto para uso.

Conceitos do BTRFS

O BTRFS pode ser usado para gerenciar os discos físicos que ele usa, e os discos físicos são adicionados a um volume BTRFS. Em seguida, o BTRFS pode criar subvolumes a partir do volume no qual os arquivos podem ser armazenados.

Diferente dos sistemas de arquivos Linux tradicionais, os sistemas de arquivos BTRFS alocam armazenamento sob demanda do volume subjacente.

No mundo do BTRFS, a palavra volume corresponde a um pool de armazenamento (ZFS) ou a um grupo de volumes (LVM).

  • devices - um ou vários volumes físicos subjacentes.
  • volume - um grande conjunto de armazenamentos composto por todo o espaço dos dispositivos e pode suportar diferentes níveis de redundância.
  • subvolumes - é isso que é montado e você armazena arquivos.
  • snapshots - uma cópia somente leitura de um subvolume em um determinado momento e / ou a cópia de leitura e gravação de um subvolume em tempo de execução (também conhecido como clone).

Criando um Volume

Para criar um volume BTRFS básico, você precisará de um disco vazio extra. Execute as seguintes etapas:

root #  mkfs.btrfs /dev/sdxy
btrfs-progs v4.17.1 
Veja http://btrfs.wiki.kernel.org para mais informações.

Detected a SSD, turning off metadata duplication.  Mkfs with -m dup if you want to force metadata duplication.
Performing full device TRIM /dev/sdj (223.57GiB) ...
Label:              (null)
UUID:               d6bcba6e-8fd5-41fc-9bb4-79628c5c928c
Node size:          16384
Sector size:        4096
Filesystem size:    223.57GiB
Block group profiles:
  Data:             single            8.00MiB
  Metadata:         single            8.00MiB
  System:           single            4.00MiB
SSD detected:       yes
Incompat features:  extref, skinny-metadata
Number of devices:  1
Devices:
   ID        SIZE  PATH
    1   223.57GiB  /dev/sdxy

/dev/sdxy deve ser um disco não utilizado. Pode ser necessário usar o seguinte comando se este disco contiver dados pré-existentes:

root #  mkfs.btrfs -f /dev/sdxy

Agora você pode montar o volume criado como qualquer outro sistema de arquivos linux.

root #  mkdir /data
root #  mount /dev/sdxy /data
root #  mount
...
/dev/sdxy on /data type btrfs (rw,relatime,ssd,space_cache,subvolid=5,subvol=/)

Para montar este volume automaticamente após a reinicialização, você precisa adicionar uma entrada fstab simples:

/dev/sdxy	/data	btrfs	defaults	0 0

Agora você deve estar no ponto em que pode começar a usar o BTRFS para uma variedade de tarefas. Embora exista muito mais no BTRFS do que o que é abordado nesta breve introdução, agora você deve ter um bom entendimento dos conceitos fundamentais nos quais o BTRFS se baseia.